Por tenente-coronel Márcio Reisdorfer

 

Ao iniciar minha participação no OCP, não poderia deixar de referenciar que, no último dia 5 de maio, a Polícia Militar de Santa Catarina completou 186 anos de história.

Muitos não entendem a gênese militar de nossa corporação, comentando erroneamente que a criação da PM foi devido aos governos militares, iniciados em 1964.

A Polícia Militar é uma corporação cuja origem remonta à vinda da família real portuguesa para o Brasil, com a formação da Guarda Real de Polícia em 1809.

Esta instituição era inspirada numa força militar congênere, que atuava em Lisboa, inspirada no modelo francês, o qual influenciou a estrutura policial de diversos países, como, por exemplo, Itália (Carabinieri), Espanha (Guardia Civil), Chile (Carabineros), dentre outros.

A PM de SC foi criada por Feliciano Nunes Pires, então presidente da Província, através da Lei número 12 de 5 de Maio de 1835, com o nome de Força Policial.

No período Imperial, nossa corporação participou de campanhas, onde destaco a da Guerra do Paraguai. Em 1916, recebe a denominação de Força Pública.

Na década de 1930, tomou parte ativamente das revoluções, além de conter escaramuças e colunas pelo interior de nosso estado e nos sertões do Paraná.

Ainda permeando o aspecto histórico, em 1946, a Constituição Federal altera a denominação para Polícia Militar.

Inovamos com o passar do tempo, do emprego do revólver ao uso da pistola, do fusca às modernas viaturas de radiopatrulha.

Nesta direção, destacamos o PMSC Mobile, aplicativo para tablet ou smartphone utilizado no atendimento de diversas ocorrências.

Nestes 186 anos de existência, percebemos que a corporação passou por muitas mudanças, sejam elas de natureza legal, estrutural e logística.

Mas, desde sua origem, teve algo que se manteve imutável, que se traduz na essência da nossa existência: a manutenção da paz e da tranquilidade do povo catarinense.

Salve PM Catarinense, o teu nome havemos de honrar!