Todos sabem o que é inflação, pois qualquer pessoa percebe o impacto que ela causa no seu dia a dia. Basta ir ao supermercado e acompanhar a subida dos preços para entender o quanto isso pode ser prejudicial na vida de todos.

A inflação é o pior “imposto” que podemos ter, pois, é um imposto silencioso, que altera a capacidade de compra das pessoas e, normalmente, diminui a renda disponível para adquirir bens ou serviços.

Pois bem, estamos diante de um dos períodos mais complicados de inflação que o mundo já viveu. Estávamos desacostumados com períodos tão longos de inflação alta. Isso está ocorrendo no mundo todo e tem causas variadas, mas as influências maiores estão nas interrupções de produção durante a pandemia, a injeção de muito dinheiro dos governos para ajudar a economia a se recuperar da pandemia e, por último, a invasão da Ucrânia pela Rússia.

O mais complicado dessa situação é não haver uma visão clara de quando haverá redução nos índices de inflação, pois as causas do que estamos vivendo ainda estão exercendo influência no mundo. Por isso, a única coisa a ser feita é buscar formas de se proteger da inflação corrente, tanto na vida como nos investimentos.

No dia a dia, as pessoas naturalmente já buscam formas de driblar a inflação, através de compras de diferentes produtos, redução de consumo de itens que não são imprescindíveis e mudança de hábitos nas suas vidas.

Nos investimentos, é importante acharmos formas de evitar que o nosso dinheiro seja corroído pelo cenário atual também. Nesse sentido, deixar dinheiro parado em casa ou em contas sem nenhuma remuneração é um absurdo. Além disso, usar a velha caderneta de poupança como caminho para aplicar os seus recursos também é um problema sério, pois, apesar do aparente aumento no valor aplicado, a remuneração alcançada pela poupança está muito abaixo das taxas de inflação.

Como alternativa, há investimentos de renda fixa capazes de entregar melhores retornos. Alguns exemplos são: títulos bancários e títulos de dívida de empresas atrelados ao IPCA ou ao CDI; fundos de renda fixa que também compram títulos atrelados ao IPCA; títulos do Tesouro Direto atrelados ao IPCA.

Já para quem tem apetite a risco e tolerância maior à volatilidade, ações de empresas que geram resultados consistentes também tendem a proteger o investidor da inflação no longo prazo.

Concluindo, é importante que as pessoas mantenham bastante vigilância com o seu dinheiro durante períodos como este que estamos vivendo. Ganhar dinheiro pelo trabalho exige bastante esforço. É importante que aprendamos a remunerar adequadamente os valores recebidos no trabalho para que a inflação não destrua nosso poder de compra.

César Augusto Corso, especialista em investimentos na Warren. E-mail cesar.corso@warren.com.br