Utilizados para tratar, prevenir ou diagnosticar sintomas e/ou doenças, os medicamentos trouxeram inúmeros benefícios à população. No entanto, com o aumento do número de tratamentos disponíveis, houve um aumento na quantidade de resíduos produzidos, levando a uma preocupação com o descarte adequado dessas substâncias.

A maioria da população armazena medicamentos em casa, principalmente em armários da cozinha ou banheiro. Entretanto, esses fármacos necessitam de alguns cuidados no armazenamento para que continuem efetivos.

Locais úmidos e quentes diminuem o prazo de validade, eficácia e segurança dos medicamentos. Considera-se que, após aberto, se armazenado corretamente, os medicamentos sólidos diminuam para 25% o seu prazo de validade. Se guardados em ambientes inadequados, esse prazo é ainda menor.

Quando inutilizados, os medicamentos devem ser descartados para evitar problemas como intoxicações, falta de efetividade, reações adversas, contaminação ambiental, etc. Vários estudos já demonstraram a contaminação de nascentes, efluentes e rios causados por derivados de drogas, como antibióticos, hormônios e agrotóxicos que interferem na saúde de humanos e animais.

O Brasil está entre as dez maiores nações consumidoras de medicamentos. Calcula-se que 20% do que é adquirido é descartado na rede de esgoto ou no lixo comum, sem nenhum cuidado ou instrução.

Uma pesquisa realizada com uma parcela da população de Jaraguá do Sul evidenciou que mais de 80% dos entrevistados relatam não saber qual o destino adequado para os medicamentos inutilizados.

Com o objetivo de prevenir a contaminação ambiental e auxiliar a atenção farmacêutica, a UniSociesc Jaraguá do Sul, assim como algumas farmácias da região, possuem caixas coletoras de medicamentos inutilizados que são posteriormente encaminhados para incineração e descarte adequado.

Dia 25 de setembro é comemorado o Dia Internacional do Farmacêutico, profissional da saúde que tem como compromisso promover o uso seguro e racional de medicamentos, desde sua fabricação até utilização e descarte, não hesite em procurá-lo.

Adrielli Tenfen Voltolini - graduada em Farmácia pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (2012) e mestre em Química pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (2015). Doutora em Ciências Farmacêuticas pela UNIVALI (2018). É professora titular e coordenadora do curso de Farmácia e Biomedicina da Unisociesc Jaraguá do Sul. Lecionou como substituta na Fundação Universidade Regional de Blumenau. Tem experiência na área de Farmácia, com ênfase em Farmacognosia, atuando nos temas: Myrtaceae, Gênero Eugenia, óleos essenciais, antimicrobiano, anticolinesterase, compostos fenólicos e terpênicos.

E-mail: adrielli.voltolini@unisociesc.com.br