A perspectiva de redução de preço do gás natural a partir de janeiro de 2023 e o investimento recorde de R$ 665 milhões até 2026 animam o diretor presidente da Companhia de Gás de Santa Catarina (SCGás), Willian Lehmkuhl.

“Temos certeza que, a partir de janeiro, o preço será decrescente. Isso já está contratado”, assegura ele, sobre a segurança no abastecimento do insumo que hoje atende mais de 21 mil consumidores, entre indústria, comércio, postos e residências.

A redução do preço do gás, que vai refletir nos próximos reajustes tarifários, se deve à contratação de suprimento com a Petrobras em condições mais favoráveis. Os contratos levam em consideração as variações de cotação do petróleo tipo Brent e do câmbio. Para este ano, o custo de aquisição de um dos contratos está fixado a 17% do Brent. Já em janeiro de 2023, a previsão é que haja uma queda para 14%, que precede um percentual de 11% do Brent para 2024.

Além dessa perspectiva, a SCGás concluiu a contratação de capacidade firme de saída de gás natural, resultante da Chamada Pública 03/2021 (CP03) da Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia-Brasil (TBG). Por meio da ampliação da Estação de Compressão de Biguaçu, haverá aumento na pressão do gás que eleva o volume de entrega do insumo. O objetivo é incrementar a capacidade em 77% para o trecho sul do Gasbol. A TBG apresentou à Agência Nacional de Petróleo (ANP) e aos participantes da CP03 uma proposta técnica que prevê entrega de capacidade adicional no trecho sul do gasoduto a partir de 1º de janeiro de 2024.

Com investimentos recordes de R$ 665 milhões, Santa Catarina ganhará novos 664 quilômetros de rede de distribuição de gás natural até 2026. Até lá, 87 municípios catarinenses devem ganhar acesso a essa fonte de energia mais limpa, que auxilia na transição para energias renováveis. Esse é o maior pacote de investimentos da história da SCGás. Já este ano, aponta o diretor presidente da concessionária responsável pela distribuição do insumo, a extensão total da rede em Santa Catarina chegará a 1.445 quilômetros.

Dobradinha

Foto: Divulgação

A senadora Ivete Appel e a candidata a vice-governadora de Jorginho Mello, delegada Marilisa Boehm, ambas moradoras de Joinville, pretendem formar uma dobradinha na construção de mais políticas públicas para as mulheres. Dentro do PL, Marilisa vai cuidar para que mais mulheres ocupem espaços de poder, disputando as próximas eleições. “As mulheres nunca estiveram tão engajadas e interessadas no processo eleitoral. E é importante para a democracia que mais mulheres estejam, ao lado dos homens, auxiliando na gestão pública”, disse Marilisa, ao visitar a Stammtisch, em Joinville, ao lado de Ivete.

Restaurantes populares

Jorginho Mello (PL) anunciou que vai espalhar restaurantes populares pelo interior do Estado. Há em Santa Catarina, aponta o candidato, 160 mil pessoas em situação de extrema pobreza concentradas em 60 bolsões de miséria. Na verdade, são 900 mil catarinenses em situação de insegurança alimentar. “Quero criar um programa de restaurantes populares, com parceria da Ceasa, para o reaproveitamento dos alimentos, das verduras, legumes e frutas, que não são comercializados para alimentar as famílias mais humildes”, afirma. Em Santa Catarina, informou, há três centrais de abastecimento (São José, Blumenau e Tubarão) e a proposta é ampliar o número de entrepostos nas 21 microrregiões com a participação de cooperativas agrícolas e da iniciativa privada. O objetivo é eliminar ao máximo o desperdício de alimentos, e redistribuir os produtos processados aos restaurantes populares a baixo custo.

Falta qualidade

A qualidade do ensino médico no Brasil foi discutida ontem no Momento da Ética, evento virtual promovido pelo Conselho Regional de Medicina de Santa Catarina (CRM-SC). Nos últimos anos, o crescimento das vagas em cursos universitários não foi acompanhado pelas condições de atividades práticas aos estudantes nem pelo número de professores. De acordo com o corregedor do CRM-SC e representante do estado no Conselho Federal de Medicina, Anastácio Kotzias, atualmente o Brasil tem 376 escolas médicas - 19 delas em Santa Catarina. “Os números mostram que não precisamos de mais faculdades, mas sim de cursos de medicina que consigam oferecer formação adequada e de qualidade aos estudantes.”

Investidores

A Nelogica, investech brasileira com a maior participação do mercado pago de plataformas de investimento do país e uma das maiores da América Latina, oferece três cursos gratuitos, com certificados, na InvestAcademy, iniciativa da sua área educacional. Destaque para os módulos de inteligência emocional para traders. Além do medo de perder e errar, os investidores podem ter seu desempenho afetado pela euforia, pela raiva, pela ansiedade e até mesmo pelo chamado overtrading, que é, de certa forma, um vício que leva a operações excessivas no mesmo dia. A pressa em atingir os resultados, e com isso aumentar a chance de falhas, também é tema das aulas ministradas por Luana Schneider, maior especialista em reprogramação mental e inteligência emocional para traders do Brasil. As lives serão de 7 a 9 de novembro, às 19h.

Produção e edição: Adriana Baldissarelli (MTb 6153) para APJ/SC e ADI/SC, com colaboração de Cláudia Carpes. Contato peloestado@gmail.com