O conselho de administração da WEG (WEGE3) aprovou na terça-feira (21) o pagamento de R$ 181,66 milhões em juros sobre capital próprio (JCP), correspondente a R$ 0,043294118 por ação.

Do montante total, será deduzido o imposto de renda na fonte de 15%, exceto aos acionistas comprovadamente imunes ou isentos.

Dessa forma, o pagamento será feito pelo valor líquido de R$ 0,036800000 por ação.

A distribuição será realizada aos titulares de ações escriturais em 24 de junho de 2022, informou a companhia, em documento divulgado ao mercado. A partir de 27 de junho de 2022, as ações serão negociadas “ex-JCP”.

O pagamento acontecerá em 17 de agosto de 2022. O valor pago como JCP será imputado aos dividendos obrigatórios.

A semana segue forte para investidores da WEG no longo prazo: Segundo o portal Money Times, o BTG Pactual recentemente mudou a recomendação da WEG de “neutro” para “compra”.

Além da mudança de recomendação, o BTG apresentou um novo preço-alvo estimado de R$ 40 para 2023.

Essa é a primeira recomendação de compra do BTG para o nome, cuja ação faz parte da cobertura do banco há anos. Para os analistas, a WEG tem uma das melhores histórias de criação de valor dentro do mercado de ações brasileiro.

Infraestrutura

A Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) participou na terça-feira (21) de encontro com o ministro da infraestrutura Marcelo Sampaio Cunha Filho, em Brasília, a convite do presidente do Fórum Parlamentar Catarinense, deputado Darci de Matos. Na ocasião, foi entregue ofício assinado pelo presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, solicitando apoio do ministro a demandas urgentes, como a garantia de crédito extraordinário de mais R$ 140 milhões para o Programa de Conservação, Restauração e Manutenção das Rodovias Federais Catarinenses, além da inclusão no programa do segmento da BR-280 entre Jaraguá do Sul e Mafra.

Inflação

O mercado vem sentindo constantemente a alta da inflação, cujos reflexos atingem diretamente empresas de todos os segmentos e consumidores. Segundo a pesquisa Indicador Nacional de Atividade da Micro e Pequena Indústria, realizada pelo Datafolha a pedido do Sindicato da Micro e Pequena Indústria do Estado de São Paulo, 56% das micro e pequenas indústrias do país acreditam que haverá alta da inflação nos próximos meses, e somente 10% preveem queda da inflação. No recorte estadual, o pessimismo é maior no Nordeste (68%), seguido por Sudeste (57%), Sul (50%) e regiões Centro Oeste e Norte (49%).

Conta de Luz

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou na terça-feira (21) o novo reajuste das bandeiras tarifárias, que incidem na conta de luz em caso de escassez hídrica ou qualquer fator que aumente o custo de produção de eletricidade. Os aumentos irão de 3,2% a 63,7%, dependendo do tipo da bandeira.

BNDES

Indústrias brasileiras de todos os portes e setores podem acessar recursos na ordem de R$ 50 milhões (sendo parte não reembolsável) para aplicar em projetos de inovação na área de transformação digital. Apresentada na terça-feira (21) na Fiesc, em Florianópolis, a iniciativa é da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) em parceria com o Banco Nacional do Desenvolvimento Social (BNDES).

Petrobras

A Petrobras recebeu, na tarde de terça-feira (21), os relatórios necessários para analisar a indicação de Caio Mário Paes de Andrade à presidência da Petrobras, de acordo com as regras de governança da companhia e a legislação. Em nota, a companhia informou que, em continuidade aos fatos relevantes de segunda-feira (20), o Comitê de Elegibilidade (Celeg) marcou reunião para a próxima sexta-feira (24) à tarde para tratar da indicação do novo presidente da estatal. Paes de Andrade é atualmente secretário de Desburocratização do Ministério da Economia.

Fies

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com veto, a lei que permite a renegociação de dívidas do Programa de Financiamento Estudantil (Fies). Publicada no Diário Oficial da União da quarta-feira (22), a Lei 14.375/22 beneficia os alunos que aderiram ao Fies até o segundo semestre de 2017.

Brics

O presidente Jair Bolsonaro defendeu uma maior aproximação entre empresários de países integrantes do Brics, bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, visando a celebração de negócios que possibilitem “ganhos recíprocos” para as partes. A afirmação foi feita em vídeo, na quarta-feira, durante a participação do presidente no Fórum Empresarial do Brics.