O setor produtivo recebeu bem a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de manter a taxa Selic (juros básicos da economia) em 13,75% ao ano. Entidades, no entanto, pediram que o Banco Central (BC) comece a reduzir a taxa assim que a inflação se mostrar contida.

Para a Confederação Nacional da Indústria (CNI), os juros altos continuam necessários para segurar a inflação atual e manter sob controle as expectativas para os preços em 2022 e 2023. A entidade, porém, destacou que o Brasil tem um dos maiores juros reais (acima da inflação) do mundo e defendeu o equilíbrio dos gastos públicos para que os juros comecem a cair mais rapidamente.

“Os juros em nível mais baixo deixam de representar entrave tão intenso ao consumo e aos investimentos e, assim, permitem melhor desempenho da economia. E, além disso, não comprometem o processo de combate à inflação. Para permitir um início mais rápido e uma queda mais intensa da taxa de juros, é importante o controle dos gastos públicos e compromisso com o equilíbrio fiscal”, afirmou, em nota, o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

Segundo a CNI, a política monetária está no campo contracionista desde dezembro de 2021, com os juros desestimulando a atividade econômica. Para a confederação, a intensidade dessa política contracionista é bastante forte, pois a taxa de juros real está em torno de 8% ao ano, o que representa 4 pontos percentuais acima da taxa de juros neutra, aquela que não estimula e nem desestimula a atividade econômica.

Parceria

A Associação Empresarial de Guaramirim (Aciag) e o IEL/SC - Instituto Euvaldo Lodi, oficializaram parceria que beneficia associados da entidade em várias áreas de desenvolvimento e melhoria da gestão, inovação e de inteligência nos negócios. A assinatura do convênio de cooperação técnica ocorreu durante reunião da Aciag, com as presenças do presidente da entidade Adilson Cesar Demathe, do vice-presidente regional da Fiesc Célio Bayer, e da gerente executiva do Senai e Sesi Daren Basso de Souza.

Emprego

Em setembro, a indústria de Santa Catarina abriu 3,8 mil postos de trabalho com carteira assinada. Desse total, 1.311 contratações foram feitas pelo segmento de alimentos e bebidas e 1.063 pela construção civil, mostram os dados do Ministério do Trabalho e Previdência, analisados pelo Observatório Fiesc. No mês, também se destacaram na abertura de vagas os segmentos têxtil, confecções e calçados (449 vagas), metalmecânica e metalurgia (364 vagas), TIC (326 vagas), máquinas e equipamentos (292 vagas), automotivo (244 vagas), produtos químicos e plásticos (214 vagas) e equipamentos elétricos (205 vagas)

Desemprego

A taxa de desemprego caiu 0,6 ponto percentual no trimestre móvel de julho a setembro de 2022 e ficou em 8,7% no período, em comparação com o trimestre de abril a junho, quando foi de 9,3%. Em relação ao mesmo período de 2021, quando o desemprego estava em 12,6%, a redução é de 3,9 pontos percentuais.

UniSociesc

Nesta semana, a UniSociesc recebeu o Prêmio ESG 2022 da ADVB/SC (Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil em Santa Catarina) na categoria Ambiental pelo projeto “Unidade de Recebimento e Triagem de Animais Silvestres”. Com o objetivo de valorizar as instituições que trabalham incorporando a cultura social em sua dinâmica empresarial, a premiação foi entregue para 29 empresas nas categorias governança social e ambiental.

 

Confiança

O Índice de Confiança da Indústria (ICI), calculado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), recuou 3,8 pontos, na passagem de setembro para outubro deste ano. Na segunda queda seguida, o indicador atingiu 95,7 pontos, o pior resultado desde março de 2022.