O Serviço Social da Indústria (SESI) lançou nesta semana um protocolo para ajudar empresas na retomada das atividades produtivas em tempos de covid-19.

O documento, que está disponível gratuitamente no Portal da Indústria, foi elaborado por médicos do trabalho, epidemiologistas, engenheiros de saúde e segurança no trabalho, psicólogos e outros especialistas do SESI.

O guia reúne recomendações e melhores práticas referendadas por órgãos nacionais e internacionais de saúde para orientar empresas em planos de retorno e aumento gradual e seguro das atividades, e reforça que as empresas também estejam sempre alinhadas às recomendações específicas das autoridades sanitárias locais.

“O SESI se debruçou sobre as melhores práticas que estão sendo adotadas por governos e pelas empresas ao redor do mundo para a preservação da saúde do trabalhador durante a pandemia de Covid-19, ao mesmo tempo em que se busca a manutenção de emprego e renda. O protocolo reforça a necessidade de empresas seguirem as recomendações da Organização Mundial da Saúde e das autoridades locais para o efetivo combate à contaminação pela covid-19”, destaca o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade.

O conjunto de recomendações contidas no protocolo oferece parâmetros para que empresas realizem adequações no ambiente de trabalho visando à máxima proteção da saúde do trabalhador.

São orientações, por exemplo, sobre novos layouts dos espaços de trabalho, novas rotinas, medidas de limpeza e higiene e serviços de saúde que podem ser adaptadas às realidades específicas de cada empresa, de acordo com seu porte, ramo de atividade, quadro epidemiológico e capacidade de investimento.

Porto Itapoá

Completando nove anos de operação terça-feira (16), O Porto Itapoá registrou um aumento de 11,3% no volume de contêineres movimentados nos primeiros cinco meses deste ano, em relação ao mesmo período de 2019.

O destaque são as operações de importação e transbordo que tiveram crescimento de 7,4% e 53,6% respectivamente.

As exportações, que apresentavam números estáveis em relação a 2019, devem manter essa tendência, com uma possibilidade de crescimento para segmentos específicos, como reefer e setor madeireiro, que podem ganhar força em função do câmbio favorável.

Comércio varejista

O comércio varejista no país teve queda de 16,8% na passagem de março para abril deste ano, segundo dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nesta terça-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Essa queda, provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) foi a mais intensa em 20 anos, de acordo com o IBGE.

O recuo foi o mesmo na comparação com abril do ano passado.

O varejo também registrou quedas de 6,1% na média móvel trimestral e de 3% no acumulado do ano. No acumulado de 12 meses, há um crescimento de 0,7%, de acordo com a PMC.

Auxílio emergencial

A Caixa programou para esta terça-feira (16) e quarta-feira (17) o pagamento da primeira parcela do auxílio emergencial do governo federal para mais 4,9 milhões de beneficiários. Serão disponibilizados R$ 3,2 bilhões.

Os beneficiários receberão os recursos, inicialmente, apenas para o pagamento de contas, de boletos e para realização de compras por meio de cartão de débito virtual ou QR Code. Já os saques e transferências seguem outro calendário.

Commodities lideram

O Índice de Comércio Exterior (Icomex) da Fundação Getulio Vargas, referente a maio, divulgado nesta segunda-feira (15), confirmou tendência já sinalizada nos meses anteriores de aumento das exportações brasileiras pautadas em commodities (produtos agrícolas e minerais comercializados no mercado internacional) e destinadas para o mercado asiático, com redução para outros destinos.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul