Um estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que a indústria brasileira reverteu a queda nos indicadores de produção e faturamento acumulada desde o início da pandemia de Covid-19 e retornou aos patamares de fevereiro.

Essa recuperação, no entanto, não ocorreu igualmente em todos os setores.

Após seis meses de dificuldades, a produção industrial finalmente voltou a subir em setembro e ficou 1,1% acima do registrado em fevereiro, ou seja, antes do choque trazido pela pandemia.

Para se ter ideia, em abril, a produção da indústria estava 31,3% abaixo do indicador de fevereiro, mas teve cinco altas consecutivas de maio a setembro.

O faturamento da indústria de transformação também já superou o patamar anterior à crise.. O faturamento real em setembro está 6,1% superior ao registrado em fevereiro.

No entanto, o estudo frisa que mesmo com o retorno aos patamares pré-pandemia, tanto na produção quanto no faturamento, a média do ano continua abaixo da média de 2019.

No acumulado de janeiro a setembro, a produção industrial ficou 8,2% abaixo da média de igual período do ano passado. No caso do faturamento, a média foi 1,7% inferior ao registrado no mesmo período de 2019.

Os dados constam da Nota Econômica nº 16, divulgada nesta quinta-feira (26) pela CNI.

De acordo com a CNI, a diferença entre as evoluções da produção e do faturamento foi influenciada pela estratégia das empresas em minimizar seus estoques, justificada pela forte queda nas vendas em março e abril e pela elevada incerteza.

As empresas enfrentaram dificuldades de caixa e acumular estoques agravaria esse cenário.

Expectativa de vida

A expectativa de vida dos homens passou de 72,8 anos em 2018 para 73,1 anos em 2019 e a das mulheres foi de 79,9 anos para 80,1 anos. Desde 1940, a esperança de vida do brasileiro aumentou em 31,1 anos.

Uma pessoa nascida no Brasil em 2019 tinha expectativa de viver, em média, até os 76,6 anos.

As informações constam das Tábuas Completas de Mortalidade para o Brasil referente a 2019, divulgadas nesta quinta-feira (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A expectativa de vida fornecida pelo estudo é um dos parâmetros para determinar o fator previdenciário, no cálculo das aposentadorias do Regime Geral de Previdência Social.

Petrobras

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou o Plano Estratégico para o quinquênio 2021-2025 (PE 2021-25).

Entre as metas figura o investimento de US$ 46 bilhões em exploração e produção de petróleo nos próximos cinco anos, dos quais US$ 32 bilhões (ou 70%) serão direcionados à camada pré-sal. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (25), no Rio de Janeiro.

Nos próximos cinco anos, está prevista a entrada em operação de 13 novos sistemas de produção, sendo todos alocados em projetos em águas profundas e ultraprofundas.

Disney em dificuldades

Segundo informações da CNN, a Walt Disney Company, maior conglomerado de entretenimento do mundo, deve demitir 32 mil funcionários no primeiro semestre de 2021.

A Disney foi uma das empresas mais diretamente afetadas pela pandemia de Covid-19, se vendo obrigada a suspender viagens de cruzeiro, fechar parques e atrasar o lançamento de filmes.

O ano soma um prejuízo, até o dia 30 de setembro, de US$ 2,8 bilhões para a empresa, contra o lucro de US$ 10,4 bilhões registrado no mesmo período de 2019.

Inflação industrial

O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que mede a inflação de produtos na saída das fábricas, registrou alta de preços de 3,40% em outubro.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), essa é a maior taxa da série histórica da pesquisa, iniciada em janeiro de 2014.

Em setembro, a taxa havia ficado em 2,34%. Já em outubro de 2019, a taxa foi de 0,60%.

Com o resultado de outubro deste ano, o IPP acumula taxas de inflação de 17,29% no ano e de 19,08% em 12 meses, também as maiores da série histórica.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul