A procura por aprendizes tem crescido: Segundo o balanço do Ministério do Trabalho, divulgado na última sexta-feira, mostrou que 124.730 jovens foram contratados como aprendizes de janeiro a março deste ano. O estado que mais contratou jovens nesse período foi São Paulo (36,1 mil), seguido de Santa Catarina (12,6 mil), Minas Gerais (11,4 mil), Rio de Janeiro (11,3 mil) e Rio Grande do Sul (10,9 mil). O tópico da contratação do jovem aprendiz é frequentemente misturada com a discussão sobre o problema da mão de obra infantil - quer sendo usado como argumento para liberar a mão de obra infantil, quer condenado como uma forma camuflada de trabalho infantil. Ambas as argumentações ignoram as particularidades da modalidade, destinada a facilitar a inserção no mercado de trabalho e sobre a qual se aplicam limitações de carga horária e de trabalho sobre as quais empregados normais não estão sujeitos. No total, o Brasil registra mais de 3,3 milhões de aprendizes contratados desde 2005, quando a norma foi regulamentada. É obrigatório que os jovens contratados estejam frequentando o ensino regular, caso não tenham concluído o ensino médio, e matriculados em algum programa de aprendizagem profissional. A remuneração tem como base o salário mínimo, atualmente em R$ 954, mas é proporcional ao número de horas cumpridas. Entre os setores que mais contrataram aprendizes no primeiro trimestre do ano estão a indústria da transformação, com 41.098 admissões, e o comércio, com 27.556.As ocupações nas quais os jovens tiveram mais oportunidade foram as de auxiliar de escritório e assistente administrativo - trabalhos mais leves e com responsabilidades menores, condizentes com a função de aprendizado da modalidade.  

Apevi oferece curso de licitações

A Associação das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedor Individual do Vale do Itapocu (Apevi) continua com inscrições abertas para o curso básico de Licitações para Micro e Pequenas Empresas, que será ministrado nesta quinta-feira, dia 10, pelo advogado Atílio Pinton Neto.  

Jaraguá do Sul recebe espaço de coworking

Tendência forte no Brasil, o modelo de coworking tem provocado uma revolução na relação das pessoas com os endereços de trabalho, conectando profissionais de diferentes áreas e, assim, incentivando a criatividade e a troca de experiências.Seguindo esse direcionamento, Jaraguá do Sul acaba de ganhar o Coolworking. O espaço, instalado na Rua Augusto Mielke, 120, foi inaugurado na semana passada e tem como objetivo fomentar a conexão entre os trabalhadores.  

Panorama Nacional

Investimentos voltaram a crescer

Os investimentos estão em recuperação gradual no país. Segundo o Indicador Ipea de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), a alta em março foi de 0,8% em relação a fevereiro de 2018 e de 0,3% no primeiro trimestre do ano, em comparação ao que foi investido de outubro a dezembro de 2017, na série com ajustes para o período.De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o consumo aparente de máquinas e equipamentos (Came), cuja estimativa corresponde à produção interna, retirada as exportações e acrescida as importações, encerrou o primeiro trimestre com alta de 2,4%, com avanço de 2,2% em março.

Mas projeção de crescimento cai

O mercado financeiro voltou a reduzir a estimativa para o crescimento da economia este ano. A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, passou de 2,75% para 2,70%.Na última semana, a projeção ficou estável em 2,75%, após quatro reduções seguidas. Para 2019, a previsão permanece em 3%.

Aberta consulta de lote do imposto de renda

A Receita abre hoje, às 9h, consulta a lote multiexercício de restituição de Imposto de Renda. As restituições residuais são de 2008 a 2017.O crédito bancário para 125.569 contribuintes será realizado no dia 15 próximo, somando R$ 200 milhões. Desse total, R$ 85,3 milhões, são de contribuintes com preferência para receber: 23.957 idosos e 2.140 com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave.

BNDES aprova R$ 252,1 para fábrica de medicamentos

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou empréstimo de R$ 252,1 milhões para o início da primeira fase da construção de uma fábrica de medicamentos, no Complexo de Suape, no município de Cabo de Santo Agostinho (PE).O financiamento equivale a 77,7% do investimento necessário à primeira etapa, a um custo de R$ 325,8 milhões, que deverá saltar para R$ 500 milhões ao final do projeto. A fábrica vai gerar cerca de 500 empregos qualificados e cerca de 2.500 empregos indiretos na região.