A Petrobras reduzirá o preço médio da gasolina nas refinarias em 1,32% a partir deste sábado (10). Com a alteração, o valor médio do combustível cairá de R$ 1,6958 para R$ 1,6734 o litro, o menor valor desde 10 de abril (R$ 1,6444). Trata-se do 5º corte seguido na semana. No acumulado no mês de novembro, a redução do preço nas refinarias chega a 10%.

A redução acontece em meio a queda nos preços do petróleo nos mercados internacionais. Nesta sexta, o barril do Brent - referência europeia de mercado - caiu abaixo dos US$ 70 pela primeira vez desde abril.

O ajuste negativo nos preços nas refinarias, no entanto, não significa diretamente uma redução nas bombas - segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina (Sindipetro) os reajustes anunciados na Petrobras, tanto para cima quanto para baixo é sobre a Gasolina A (que é a gasolina pura), vendido para as distribuidoras - e não para a gasolina C, vendida nos postos com adição de 27% de etanol.

Por estar na entressafra, o  etanol atualmente está com um valor mais alto. Quando a gasolina chega no posto, já vem somado todos os impostos ICMS (R$ 1,0825 - com base no ato cotepe estipulado pela fazenda estadual) + PIS/Cofins (R$ 0,578525) + CIDE (0,073) - o que resulta no contraste de preços nas refinarias, menos de R$ 2, e nos postos, mais de R$ 4.

Além disso, explica a entidade, quem recebe a redução e determina se ela vai ser repassada aos postos são as distribuidoras.

De um modo geral, quando o dono do posto recebe a redução, ele repassa. Mas se a distribuidora não repassar a redução, os postos não podem repassar para o consumidor final.

O Sindipetro ressalta que o giro de combustível no posto é muito rápido -  em um ou dois dias, o revendedor já compra outra carga.

A estatal anuncia sempre um dia antes do reajuste e os donos do postos já recebem da distribuidora com o aumento. Quando o preço diminuí, no entanto, o reajuste nem sempre vem embutido na carga.

De 25 de setembro a 7 de novembro, os preços da gasolina A comercializada nas refinarias Petrobras caíram 23,8%.

Já os custos do etanol anidro, considerando de  21 de setembro a 1 de novembro subiram 5,7%. No caso do diesel, a redução média foi de R$ 0, 24 o litro nas  refinarias Petrobras.

Já o biodiesel, em virtude do último leilão promovido pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), aumentou entre R$ 0,03 e R$ 0,04 o litro.

A Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis) destaca que, até o momento, as quedas do diesel não foram repassadas integralmente pelas distribuidoras.

Plenária da Acijs

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio, Serviços e Turismo de Jaraguá do Sul, Domingos Savil Zancanaro, participa da reunião plenária Acijs e Apevi da próxima segunda-feira (12), comentando experiência anterior na área, em Florianópolis.

O objetivo, explica, é mostrar ações que fomentaram tecnicamente para o enriquecimento do setor de turismo, geração de oportunidades de trabalho e renda na capital do estado.

Na exposição, Zancanaro apresentará projetos que fortaleceram o desenvolvimento econômico e socioambiental, interesse e potencial para o fortalecimento do turismo sustentável.

Tecnologia aplicada

Eletroposto foi um dos destaques do evento. Foto: Ronaldo Corrêa

Robôs para a movimentação de materiais dentro da fábrica, ou para o deslocamento de contêineres em área portuária, um eletroposto para abastecimento de veículos com energia solar que transfere a energia captada excedente para a rede são alguns dos projetos que a comunidade pode conhecer nos dois dias realização do Mundo Senai.

O evento, que ocorreu nesta quinta e sexta-feira na unidade de Jaraguá do Sul e em outras cidades de Santa Catarina, trouxe como foco apresentar ideias discutidas em sala de aula, apontando soluções para a indústria.

Nos dois dias, cerca de 2 mil pessoas passaram pelo evento em Jaraguá do Sul. Professores e alunos de escolas da região, e a comunidade em geral, acompanhou uma programação que reuniu palestras, oficinas com minicursos e demonstrações práticas de atividades da rotina da indústria.

Em defesa do Ministério do Trabalho

Servidores do Ministério do Trabalho realizaram nesta quinta-feira (8), em Brasília, uma manifestação em defesa da permanência do pasta.

Mais de 600 pessoas, segundo a administração do edifício-sede do Ministério, abraçaram o prédio, numa demonstração de repúdio à extinção do órgão, anunciada pela equipe de transição do novo governo.

A iniciativa dos servidores teve o objetivo de reiterar a importância do Ministério do Trabalho para a sociedade brasileira.

Mansueto

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, afirmou nesta quinta-feira (8) que se o governo Michel Temer não conseguir aprovar a reforma da Previdência este ano, não haverá nenhum impacto negativo para o mercado financeiro.

“Se [o governo Temer] aprovar algo infralegal esse ano, ótimo, é uma sinalização. Mas se não aprovar não é o fim do mundo. O que o mercado espera é a aprovação da reforma da Previdência no próximo ano. É necessária uma reforma da Previdência no país e o governo novo tem tempo de aprovar”, disse Mansueto.

A declaração veio depois do governo Temer passar os últimos dois anos insistindo que o país quebraria sem a reforma imediata.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?