A economia global parece estar se recuperando do baque provocado pelo novo coronavírus mais rápido do que se imaginava há apenas alguns meses, graças à melhora nas perspectivas para a China e os Estados Unidos.

A afirmação foi feita pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), nesta quarta-feira (16).

Para a organização, também melhorou a perspectiva para o Brasil em 2020, de acordo com suas novas projeções.

Embora ainda seja uma projeção de contração de 6,5% em 2020, o valor é 0,9 ponto percentual melhor do que a estimativa de junho, de queda de 7,4%.

A entidade também prevê que o país crescerá 3,6% em 2021, uma piora de 0,6 ponto.

A economia mundial está a caminho de contrair 4,5% este ano, disse a OCDE. A estimativa, sem precedentes na história recente, representa uma melhora ante a queda de 6% projetada em junho.

Desde que seja evitado que o vírus se dissemine sem controle, a economia global voltará a crescer no próximo ano com uma expansão de 5%, ante previsão em junho de alta de 5,2%, de acordo com a OCDE.

Entretanto, uma retomada mais forte do vírus ou medidas mais rigorosas para contê-lo podem cortar 2 a 3 pontos percentuais da projeção para 2021, alertou a OCDE.

A organização explicou que fez suas estimativas sob o pressuposto de que surtos locais continuarão e haverá ações locais em vez de paralisações nacionais.

Elas também assumem que uma vacina não estará amplamente disponível até o final do próximo ano.

A OCDE disse que as ações de governos e bancos centrais para sustentar as rendas de famílias e empresas ajudaram a evitar contrações piores e devem portanto ser mantidas.

A perspectiva melhor para este ano mascara grandes diferenças entre as principais economias, com os Estados Unidos, China e Europa, devendo ter desempenho melhor do que o esperado.

De cara nova

Buscando reestruturar-se para acompanhar as mudanças que o mercado apresenta, a agência Oodles acaba de apresentar uma novidade. A partir de agora, terá um novo posicionamento de mercado e uma nova composição de liderança. Ao lado do CEO, Ricardo Rodermel, a profissional Vanessa Longhi, que atua há quatro anos na empresa, passa também a ocupar o lugar de sócia. Recentemente, apresentou também a inclusão de um novo produto, onde o cliente inicia uma jornada de Mentoria Consultiva e segue com uma gestão e estratégia compartilhada.

Liga pelo Trabalho

A Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina) lançou, na terça-feira (15), a Liga pelo Trabalho. A iniciativa integra as ações previstas no novo ciclo do Movimento Santa Catarina pela Educação.

O objetivo é oferecer, gratuitamente, conteúdo exclusivo para profissionais que foram desligados e que estão em busca de emprego.

Por meio da plataforma Eu Voluntário, a entidade disponibilizará vídeos com dicas sobre como se preparar para um novo emprego, além de recomendações sobre economia pessoal e equilíbrio emocional.

Para saber como se preparar para o novo emprego, os interessados devem acessar o site da liga.

Guedes diz ter sido mal entendido

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou, na tarde desta terça-feira (15), que foi distorcida a informação sobre a criação do programa Renda Brasil e a desindexação de despesas públicas, que está sendo construída junto ao Congresso Nacional na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo.

Guedes lamentou a interpretação de veículos de imprensa de que o governo estaria com a intenção de congelar as aposentadorias para garantir recursos para o novo programa social que substituiria o Bolsa Família, pago a famílias que estão em situação de pobreza extrema e miséria.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul