A possibilidade de fomentar iniciativas inovadoras na área da saúde conectou o Novale Hub – Centro de Inovação Jaraguá do Sul e o Instituto de Educação Médica (Idomed), mantenedor do curso de Medicina ministrado na cidade. As duas instituições assinaram, recentemente, um termo de colaboração, incentivando a participação comum em projetos futuros.

O documento foi assinado pelo Presidente do Conselho de Administração da Associação Centro de Inovação Jaraguá do Sul, Luis Hufenüssler Leigue, além do diretor do Idomed Jaraguá do Sul, Antonio de Souza Junior.

De acordo com o CEO do Novale Hub, Prof. Nelson Martins de Almeida Netto, a ideia é que técnicos possam mentorar e sistematizar os processos de inovação que forem desenvolvidos dentro do curso superior. “Com isso alcançamos a troca de inteligência entre as instituições, permitindo que a nossa incubadora (JaraguaTec) possa fazer o acompanhamento dos projetos que possam surgir”, completou Netto.

A proximidade entre as instituições pode fomentar a criação de healthtechs em Jaraguá do Sul e região. A palavra, formada pela junção dos termos em inglês “health” e “tech” (saúde e tecnologia, respectivamente) especifica as startups voltadas para a área de saúde, que têm como objetivo trazer inovações para esse setor. A ideia é que as soluções apresentadas por essas empresas melhorem o dia a dia de médicos, pacientes e de instituições de saúde em diversos aspectos.

O apoio às ideias que misturam saúde e inovação é defendido pelo diretor do Idomed em Jaraguá do Sul Souza Junior. Ele destaca que esses empreendedores com negócios na área podem ter saído da região por não encontrarem um local que pudesse abrigar esses empreendimentos. “Agora a conexão entre nós (Idomed) e Novale Hub vai permitir que iniciativas sejam desenvolvidas e aprimoradas, em um mercado de plena expansão, unindo o know-how da área da Saúde com o fomento à inovação tecnológica”, disse.

 

BNDES

A Caixa Econômica Federal, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos (Seppi) do Ministério da Economia anunciaram na terça-feira (20) um acordo para desenvolverem projetos de concessões e de parcerias público-privadas (PPP) em todo o País. A parceria pretende multiplicar investimentos em infraestrutura nos próximos anos, principalmente em projetos de iluminação pública e saneamento.

Importados

Divulgação/Porto de Itajaí

No começo da semana, o navio de cargas Roll On Roll Off "California Highway", atracou no cais público (berço 03) do Porto de Itajaí, trazendo a bordo 688 veículos importados, sendo 129 modelos da montadora alemã BMW e 559 modelos da montadora General Motors do Brasil (GM).

Com procedência do Porto de Santos (SP), o navio California Highway tem bandeira do Panamá, e possui 199,97 metros de comprimento, por 32,26 metros de boca (largura) para transportar cargas sobre rodas.

ICMS

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) determinou às prestadoras de serviços de telecomunicações o repasse imediato aos consumidores da redução das alíquotas do ICMS. A medida visa o cumprimento da Lei Complementar nº 194, de 23 de junho de 2022, que estabeleceu um teto para o ICMS que incide sobre combustíveis, energia elétrica, comunicações e transportes coletivos.

Senai

A Fiesc e o Senai formalizaram uma parceria com a Prefeitura de Corupá para o Programa Qualifica Tech, que vai oferecer vagas em cursos de tecnologia da informação. O emprego nesta área é praticamente garantido e os salários são atrativos - a remuneração média inicial é superior a R$ 4,7 mil, duas vezes e meia maior do que as demais ocupações, segundo análise do Observatório Fiesc. Ao todo, o Qualifica Tech vai oferecer 10 mil vagas em Santa Catarina em cursos 100% on-line.

Planos de saúde

O governo sancionou na quarta-feira (21) a lei que obriga planos de saúde a cobrirem tratamentos e procedimentos fora do rol da Agência Nacional da Saúde (ANS). A sanção foi publicada na edição de quinta (22) do Diário Oficial da União (DOU). De acordo com a determinação, o tratamento ou medicação deve atender a critérios como ter eficácia comprovada; ter autorização da Anvisa; ter recomendação da Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologia no SUS); ou ter recomendação de pelo menos um órgão de avaliação de tecnologias em saúde renomado internacionalmente e que tenha aprovado o tratamento para seus cidadãos.