Foto Divulgação
Foto Divulgação

Apesar das perdas de faturamento acumuladas nos últimos quatro meses por causa da redução da atividade econômica e da possibilidade de que os efeitos da crise sanitária se estendam por mais tempo, uma em cada cinco empresas do Estado pretende realizar investimentos ainda durante a pandemia.

A informação consta na quarta edição da pesquisa Impacto do Coronavírus nos Negócios de Santa Catarina, realizada pelas federações empresariais da Indústria (Fiesc), do Comércio, Serviços e Turismo (Fecomércio-SC) e pelo Serviço de Apoio Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina (Sebrae/SC), divulgada nesta quarta-feira, dia 29.

A procura por crédito tem marcado o cenário empresarial - e encontrado dificuldade: 45,1% das empresas consultadas disseram ter procurado financiamento e somente 16,6% do total o obtiveram.

Acompanhe a evolução da pandemia de Covid-19 em Jaraguá do Sul aqui.

Segundo a pesquisa, um acesso mais fácil ao crédito poderia ter evitado falências registradas durante a pandemia – e que são estimadas em 1,5% das empresas. O levantamento indagou os motivos dessas falências e as respostas indicam que 48% foram motivadas pela pandemia (redução de faturamento).

Das demais, 12% são atribuídas a outros problemas não relacionados à pandemia e 40% pelo fato de as empresas já estarem em situação delicada, agravada durante a ocorrência da Covid-19. Neste contexto, 36% das entrevistadas afirmam que as falências poderiam ter sido evitadas caso houvesse acesso ao crédito.

Além do objetivo de realizar novos investimentos e projetos, motivo para 23,2% do crédito, os principais motivos para a busca de crédito são para fluxo de caixa (58%), pagamento de custos fixos (32,4%) e pagamento da folha e salários (20,3%).

Retirada de previdência da pauta é positiva, avalia Fiesc

O governo do Estado anunciou nesta terça-feira (28) que vai retirar o projeto da Reforma da Previdência Estadual da Assembleia Legislativa, após discussão com o Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (Cofem).

Houve posição conjunta do setor empresarial catarinense no sentido de que é preciso promover uma efetiva redução dos gastos públicos, para que o Estado possa investir em saúde, educação, segurança e infraestrutura.

A Fiesc (Federação das Indústrias de Santa Catarina) considera positiva a decisão do governo do estado.

“Concordamos, porque é um projeto extremamente importante para o estado e que precisa ser muito bem discutido com a sociedade para trazer resultados positivos para Santa Catarina”, disse o presidente da instituição, Mario Cezar de Aguiar.

Antecipação

O Banco do Brasil lançou nesta semana nova linha de crédito para trabalhadores que aderiram à modalidade de saque aniversário do Fundo de Garantia por tempo de Serviço (FGTS). O anúncio foi feito na noite de terça-feira (28). Os trabalhadores que aderiram à modalidade de saque passam a ter a possibilidade de antecipar os valores previstos para saque anual no mês de aniversário, utilizando o saldo de sua conta FGTS como garantia.

Queda na abertura de empresas

A abertura de novas empresas teve queda de 25,7% em abril em comparação com o mesmo mês de 2019, segundo levantamento da Serasa Experian. Foram abertas 194,8 mil empresas no mês, sendo que 84,7% na categoria de microempreendedor individual (MEI).

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul