Mercado | Importação de produtos agrícolas preocupa região

Mercado | Importação de produtos agrícolas preocupa região Mercado | Importação de produtos agrícolas preocupa região

Colunistas

Por: Pedro Leal

quinta-feira, 09:03 - 22/02/2018

Pedro Leal
Com preços em queda desde de janeiro passado, o mercado para a rizicultura tem sido motivos de preocupação para a região - hoje, a saca de arroz sai por R$ 35 no mercado nacional, mas para compensar os custos de produção, os preços da saca teriam que ser ao menos R$ 39, segundo produtores - e as projeções de mercado indicam que o preço pode cair até R$ 31,50. Atualmente, o país produz cerca de 13 milhões de toneladas de arroz por ano, e consome 11 milhões - o que deixa um excedente de 2 milhões de toneladas do grão. Ainda assim, o país importa arroz do Mercosul a preços reduzidos, forçando o preço no mercado interno para baixo, "de forma inexplicável", segundo o vereador Charles Longhi (PMDB). O vereador fez parte de uma comitiva da Associação de Veradores do Vale do Itapocu (Avevi) que encaminhou a questão para o Deputado Federal João Paulo Kleinubing (PSD) e o Fórum Parlamentar Catarinense, na última quinta-feira (15).
Foto: ThinkStockPhotos
Além do arroz, outro produto agrícola tem mobilizado as queixas da região e a pauta da Avevi: a Banana, com 80% da produção estadual. Enquanto a exportação do produto tem demonstrado queda desde 2016 e os preços nacionais estão em retração desde novembro de 2016 - com um leve pico em dezembro passado - o Ministério da Agricultura liberou em dezembro a importação de bananas do Equador, apesar dos protestos de bananicultores. Resta a pergunta de por que importar produtos que temos sobra.

Cobertura telefônica é outro problema

Além das duas pautas agrícolas, a comitiva da Avevi discutiu outra questão que diz respeito a economia da região: a cobertura precária de telefonia móvel nos menores municípios da região e a na área  rural. A associação cobra medidas do governo federal. Enquanto a cobertura telefônica peca em vários municípios do país, o setor acumula lucros bilionários - salvo pela Oi, que deve ao R$ 64 bilhões aos seus credores

Anunciado leilão extrajudicial do Jaraguá Tower

A Associação Jaraguá Tower anunciou a realização de leilão extrajudicial para venda das unidades em estoque do Condomínio Jaraguá Tower, localizado na Avenida Marechal Deodoro da Fonseca, esquina com a Rua José Ersching, no centro de Jaraguá do Sul/SC. O empreendimento foi lançado pela Criciúma Construções em meados de 2008, com previsão de entrega para dezembro de 2012, mas a construtora abandonou a obra e os adquirientes assumiram o empreendimento. O leilão será realizado de forma eletrônica na próxima quarta-feira.

Preço médio da gasolina fica estável depois da primeira queda desde outubro

Foto: O Tempo
Segundo levantamento da ANP, o preço médio da gasolina fechou a semana passada em média estável de R$ 4,212 o litro no país para o consumidor final - na semana anterior, o preço médio teve a primeira queda desde outubro, caindo de R$ 4,221. Na mesma semana, a Petrobras acumulava ajustes de 2,61% para baixo nas refinarias, ajuste compensado nesta semana com um aumento acumulado de 4,7% até a manhã de hoje, com preço médio de R$ 1,557 nas refinarias. Na região, a média de preço gira em torno dos R$ 3,80.

Spin abre mais um ciclo de aceleração

A Spin Exponential Business, aceleradora de startups de Jaraguá do Sul, está dando inicio ao seu segundo ciclo de aceleração, com cinco empresas selecionadas entre um grupo de 80. Nesta segunda etapa, todas as selecionadas foram empresas catarinenses, três delas de Jaraguá do Sul, e por um período de 12 semanas, receberão acompanhamento, capacitação e acesso à investidores. Segundo estatísticas de mercado, 90% das startups falham - mas processos de incubação e aceleração tendem a aumentar as chances de sucesso. As empresas jaraguaenses são a Clinicorp, na área da saúde, a W4COM, de tecnologia inteligente, e a Vestibulex, voltada para cursos online.

Sobe o crédito dos municípios

Prometido em dezembro do ano passado, o crédito extra de R$ 2 bilhões para o Fundo de  Participação dos Municípios (FPM) foi aprovado pelo congresso nesta terça-feira. O recurso extra deve ajudar a compensar as perdas do fundo - que caiu 14,2% nos últimos quatro anos. O recurso extra ainda depende de sanção presidencial.

E o PIB

A projeção de crescimento do PIB para 2017, de 1%, foi espelhada nos dados divulgados ontem pela Fundação Getúlio Vargas, confirmando as projeções de mercado e elevando o Produto Interno Bruto do País para R$ 6,51 trilhões. O dado ainda não é final e o PIB oficial será divulgado no dia 1º pelo IBGE. Embora positivo, o resultado não compensa a queda no PIB em 2016, de 3,6%, e 2015, de 3,77%.

Epagri lança nova variedade de arroz

Em meio às preocupações da rizicultura, a Epagri lança hoje sua primeira variedade de arroz voltada especificamente para risoto, o SCS123 Pérola, com maior valor agregado. A variedade está em desenvolvimento desde 2007, e é o 31º cultivar de arroz desenvolvido pela estatal. Segundo a Epagri, o Pérola se destaca pela produtividade - 10 toneladas por hectare, contra 4 de outros especiais para risoto - e a facilidade de cultivo, que não exige adaptações. Ainda este ano, deve ser definida a empresa que fará a multiplicação do grão. A previsão é a variante chegue aos mercados em 2020.

Congresso já tramita 80% das prioridades da economia

Dos 15 pontos apresentados segunda-feira  pelos ministros da área econômica e política, 12 constam de projetos de lei em discussão na Câmara ou no Senado. Os únicos pontos ainda sem projetos de lei são a autonomia do Banco Central (BC), a simplificação do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins). Uma das medidas -a nova lei geral de Telecomunicações - voltou ao senado depois de ter sido encaminhada diretamente para sanção presidencial, por ordem do STF.  
×