As barreiras tarifárias impostas pelo governo Trump, sobre taxando importações de aço em 25 e de alumínio em 10% tem causado preocupação no mercado nacional. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse esta quinta-feira que o Brasil vai analisar uma possível negociação com os Estados Unidos com relação ao aumento da tarifa sobre o aço importado, definida pelo ministro como "negativa para todos os envolvidos". No dia em que o presidente americano assinou a medida, o dólar comercial fechou a R$ 3,265, com alta de R$ 0,02 (0,63%). Esta foi a maior cotação desde 9 de fevereiro, de R$ 3,302. Ao mesmo tempo, o mercado de ações marcava o terceiro dia consecutivo de quedas, encerrando a quinta-feira em 84.945 pontos, voltando a ficar abaixo da linha de 85.000. Na sexta-feira, as ações de siderúrgicas como a Tupy e mineradoras como a Vale operavam em tendência de queda. Os impactos, no entanto, não se restringem ao setor metalúrgico e minerador. O país é responsável por 13% de todas as importações de ao feitas pelos EUA em um total de 30 milhões de toneladas, e os prejuízos com a medida protecionista podem superar US$ 3 bilhões na balança comercial do país - a perda desse mercado pode acarretar em um excedente de aço no mercado nacional, e o prejuízo que já começa a ser sentido pelas empresas pode levar a alta no desemprego, afetando o  restante do mercado. A necessidade de soluções no caso de fracasso nas negociações foi apontada pelo vice-presidente da Acijs, Antônio César, que ressalta que as companhias que atuam no mercado global vão precisar tomar medidas criativas para contornar as barreiras - entre elas a possibilidade de redução no volume de produção, o que inevitavelmente acarretaria em prejuízos. A medida protecionista também encarou críticas da União Européia e de outros países exportadores de aço e alumínio, assim como do próprio partido do presidente americano, que enxerga a taxação como um imposto adicional em meio à guerra comercial de Trump com a China.

Entrega de alevinos

A Secretaria de Desenvolvimento Rural e Abastecimento da Prefeitura de Jaraguá do Sul encerrou na manhã desta quinta-feira (8) a 1ª Campanha de Alevinos de 2018. Outras iniciativas do gênero devem acontecer ao longo deste ano. Nesta primeira fase foram entregues 11,165 alevinos destes 89.1% eram de tilápia, 1,0% carpa, 5,4% bagres e 4,5% de espécies nativas.

Panorama nacional

Recall Fiat anunciou nesta sexta-feira  o recall de 10 modelos, incluindo Palio e Uno, por possibilidade de um desligamento inesperado do motor devido a um defeito no alternador. São 15.534 unidades dos anos 2016 e 2017 e a vistoria deve ser agendada em uma concessionária a partir de 12 de março. É possível consultar se seu veículo está entre as unidades afetadas no site da montadora. Petrobrás descarta plataforma A Petrobrás decidiu descartar a plataforma P-71, que estava sendo construída no estaleiro Rio Grande (RS). O projeto vai ser recomeçado do zero na China, no estaleiro chinês CIMC Raffls, em processo de licitação concluído na semana passada. A decisão da estatal pela exportação do projeto tem causado preocupação por parte de sindicatos e da prefeitura de Rio Grande. O estaleiro se encontra  em processo de recuperação judicial e as partes que já foram concluídas da P-71 e da P-72 serão vendidas como sucata. Avança a privatização da Eletrobrás O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, declarou nesta quinta feira que a oferta pública de capital da Eletrobrás deve acontecer até dezembro.N  sta terça-feira (6), o Congresso Nacional instalou a comissão mista destinada a analisar a medida provisória que retira da legislação atual a proibição de privatizar a estatal e suas subsidiárias. A proposta revoga artigo da Lei 10.848/2004, que trata da comercialização de energia, que excluía a Eletrobras e suas controladas – Furnas, Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), Eletronorte, Eletrosul e a Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE) – do Programa Nacional de Desestatização. Inflação de fevereiro é a menor desde 2000 A Inflação de fevereiro ficou no menor patamar para o mês desde 2000. Medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (ICPA), a inflação oficial ficou em 0,32%, como divulgado pelo IBGE na manhã desta sexta-feira. Este é o menor IPCA para o mês de fevereiro desde o ano de 2000, quando o IPCA marcou 0,13%. No ano, o IPCA acumula inflação de 0,61%, a menor taxa para os dois primeiros meses do ano desde a implantação do Plano Real, em 1994. Brasileiros endividados Dois a cada cinco brasileiros estão com alguma conta em atraso ou com o CPF restrito para contratar crédito ou fazer compras parceladas, segundo dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). A estimativa das entidades é que o Brasil tenha 61,7 milhões de pessoas nesta situação. 40,5% dos brasileiros entre os 18 e 95 anos se encontram inadimplentes, e o total de inadimplentes cresceu 2,71% entre janeiro e fevereiro. Foto destaque: MANDEL NGAN / AFP