O Jaraguá do Sul Park Shopping terá um novo dono. Até 2016 pertencente ao Grupo Breithaupt e vendido ao grupo mineiro Tenco, o estabelecimento teria sido agora vendido ao grupo paulista Partage, segundo informações do Terra. O valor do negócio não foi informado.

A aquisição seria parte de um plano bilionário de investimentos que combina aquisições e abertura de empreendimentos. O objetivo é ganhar escala, explorar sinergias e defender o próprio negócio em uma indústria que caminha para consolidação - o principal exemplo está na fusão das líderes Aliansce e BRMalls.

Além do Jaraguá do Sul Park Shopping, a empresa comprou do grupo Tenco o shopping Arapiraca Garden, em Alagoas. Os ativos foram vendidos pela Tenco por valores não revelados pelas empresas.

Segundo fontes de mercado, cada empreendimento tem valor estimado na faixa de R$ 450 milhões a R$ 500 milhões. No caso do Jaraguá, a Partage ficou com 100% do imóvel, enquanto em Arapiraca assumiu uma posição majoritária.

A Coluna entrou em contato com a administração do shopping sobre como será a transição. Segundo representantes do empreendimento, os detalhes estão sendo discutidos esta semana.

O Tenco assumiu o Jaraguá do Sul Park Shopping em 2016. Antes, o empreendimento pertencia ao grupo Breithaupt, que abriu mão do empreendimento como parte de um plano de readaquação de mercado iniciado em 2013 e que culminou com a venda em 2016.

O espaço foi inaugurado em 1999, onde antes era o supermercado Breithaupt. Na época, se chamava Shopping Breithaupt, até ser rebatizado como Jaraguá do Sul Park Shopping e passar por uma ampliação, concluída em 2015.

"Apesar dos desafios macroeconômicos vistos agora, este é um mercado que requer visão de longo prazo. Estamos comprando e desenvolvendo esses shoppings para ficarem com a gente, não para serem vendidos em seguida", ressalta o diretor Comercial e de Novos Negócios da Partage, Adriano Capobianco, em entrevista ao Estadão/Broadcast.

Na sua avaliação, há demanda de varejistas para abertura de lojas em shoppings, desde que esses empreendimentos estejam em áreas estratégicas.

"Mesmo com a pandemia, tivemos resultados muito bons ano passado, o que nos deu confiança de que podemos ampliar as operações", argumenta.

As vendas dos lojistas do grupo movimentaram R$ 2,3 bilhões em 2021. Para 2022, a expectativa é chegar a R$ 3 bilhões, um aumento de 30%.

Gasolina

A gasolina em Santa Catarina já encosta nos R$ 9. O preço recorde foi registrado em Tubarão, no Sul do Estado, onde o litro da gasolina comum é comercializado a R$ 8,99 no Posto Cidade Azul Ltda. O dado consta do levantamento da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) no Estado, emitido na última sexta-feira (6). Em Jaraguá do Sul, o recorde foi de R$ 6,99.

Fertilizante

As importações de potássio da Jordânia para o Brasil poderão aumentar, de forma a garantir o fornecimento desse importante fertilizante para a agricultura brasileira. Essa é a expectativa manifestada no último sábado (7) pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Marcos Montes, durante a visita que fez à fábrica Arab Potash Company (APC), naquele país. De acordo com o Mapa, o Brasil importa cerca de 85% de todo o fertilizante usado na produção agrícola nacional. No caso do potássio, o percentual importado é de cerca de 95%.

Tributação

Para destravar a reforma tributária no Senado, o ministro da Economia Paulo Guedes, disse na segunda-feira (9) que o governo pode apresentar uma versão “mais enxuta” do projeto com a proposta de aumento do imposto de renda sobre os super-ricos e redução dos impostos cobrados sobre as empresas. Ele defendeu também a total isenção de impostos para a indústria.

Frota

No mês de fevereiro, entrou em operação a primeira fase do projeto de eletrificação da frota da Ambev, a maior do Brasil. São 250 caminhões elétricos rodando em 18 cidades brasileiras, de Joinville, em Santa Catarina, a Natal, no Rio Grande do Norte. A meta da maior cervejaria brasileira é ter, até 2025, 50% de sua frota composta por caminhões elétricos - com o fornecimento feito pela WEG.

Diesel

Após 60 dias, a Petrobras fará ajuste nos seus preços de venda de diesel para as distribuidoras. Nesta terça-feira (10), o preço médio de venda de diesel da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 4,51 para R$ 4,91 por litro. O ajuste é de 8,8%. Considerando a mistura obrigatória de 90% de diesel A e 10% de biodiesel para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de R$ 4,06, em média, para R$ 4,42 a cada litro vendido na bomba. Uma variação de R$ 0,36 por litro.