Nesta terça-feira (12), a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Comissão da Assembleia Legislativa de Santa Catarina reconheceu o transporte coletivo como serviço essencial e admitiu como válidos dois projetos de leis (PLs) voltados à retomada do funcionamento no estado de novos serviços e atividades atualmente interrompidos em função da Covid-19.

A aprovação na CCJ não significa que os PLs estejam em vigor, mas sim que podem ir à votação no plenário da câmara. A liberação do transporte coletivo é controversa, dada a proximidade entre os passageiros, que torna os ônibus um meio propício para a disseminação do vírus.

O primeiro deles, PL 135/2020, de autoria do deputado Sargento Lima (PSL), ao qual foi apensado o PL 161/2020, dos deputados Jerry Comper e Luiz Fernando Vampiro, ambos do MDB, reconhece o transporte coletivo urbano municipal e intermunicipal de passageiros como essenciais para população mesmo durante a vigência da pandemia - o serviço estava suspenso desde o início do estado de calamidade, em março.

Pelo projeto, a Secretaria Estadual de Saúde ou órgão competente, ficará responsável por determinar as medidas de segurança, sanitárias e epidemiológicas que deverão ser adotadas pelos prestadores dos serviços.

O acatamento da matéria teve por base o parecer favorável do deputado Fabiano da Luz (PT).

“Santa Catarina é o único estado hoje em que o transporte coletivo está proibido e com a volta do funcionamento da indústria e do comércio, muitas pessoas estão com dificuldade para se locomover”, argumentou.

WEG no Chile

A WEG está fornecendo motores especiais para o projeto Estanques de Pirque, no Chile, que se constituí da construção de seis mega lagos reservatórios para armazenar água bruta do rio Maipo em tempos normais, que podem ser usados para produzir água potável em emergências.

Elas têm uma capacidade de 1.480 milhões de litros e sua superfície é equivalente a 50 campos de futebol.

O projeto visa fortalecer as reservas do sistema de produção de água potável e aumentar a segurança no abastecimento de água de Santiago.

Comércio de bens

O comércio mundial de bens deve cair a uma taxa nunca vista desde a crise financeira global de 2009, com as estimativas ficando cada vez mais sombrias nas últimas semanas, concluiu nesta quarta-feira (13) a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad, na sigla em inglês).

O comércio de mercadorias deve ter caído 3,0% no primeiro trimestre em relação aos três meses finais de 2019, e espera-se perda de 26,9% no segundo trimestre, informou a Unctad.

Na comparação anual, esses números seriam de quedas de 3,3% e 29,0%, respectivamente.

Vendas do varejo

O volume de vendas do comércio varejista do Brasil caiu 2,5% na passagem de fevereiro para março deste ano. Segundo a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada nesta quarta-feira (13), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a queda veio depois de uma alta de 0,5% de janeiro para fevereiro.

O resultado foi influenciado pelas medidas de isolamento impostas em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Na comparação com março de 2019, o recuo foi de 1,2%.

Apesar disso, o varejo acumula altas de 1,6% no ano e de 2,1% em 12 meses.

Acias elege nova diretoria

Na noite desta terça-feira (12), a Associação Empresarial de Schroeder (Acias) promoveu sua Assembleia Geral Ordinária, entrando para a história do associativismo sendo a primeira Associação a realizar uma assembleia de forma 100% online.

Após o momento de prestação de contas, foi aclamada em Chapa Única, a Nova Diretoria da Acias para a gestão 2020/2022, através de aclamação pelos presentes.

A nova gestão será conduzida pelo Presidente Norberto Weiss, empresário do ramo alimentício de Schroeder e um entusiasta do associativismo.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul