O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) aprovou, nesta semana, o compartilhamento do banco de dados do Sistema Nacional de Empregos (Sine) com empresas privadas que exerçam atividade de intermediação de mão de obra.

A medida aprovada durante a 152ª reunião do Conselho, realizada em Brasília, tem o objetivo de viabilizar mais oportunidades de inserção no mercado de trabalho.

Segundo o presidente do Codefat, o secretário de Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, o Sine precisa ser fortalecido, aprimorado e modernizado. “O governo tem urgência em ampliar a capacidade de os trabalhadores conseguirem emprego. A iniciativa privada será um braço forte nesse projeto”, destacou.

Os dados dos trabalhadores também serão disponibilizados para entidades sem fins lucrativos. Um dos problemas que pode ser visto no sistema é a dificuldade em acessar as informações para o cidadão comum - a disponibilização dos dados para entidades que trabalham com intermediação de mão de obra pode facilitar este serviço.

Esta falta de transparência tem sido explorada maliciosamente por grupos que se aproveitam do nome Sine em redes sociais - não raro é encontrar anúncios falsos usando a sigla, levando a sites não oficiais.

A reestruturação do Programa Brasileiro de Qualificação Social e Profissional – Qualifica Brasil também foi aprovada na reunião.

A medida visa agregar à política de qualificação outros modelos formativos que permitam conferir mais agilidade à oferta de cursos e de processos de capacitação e que propiciem mais precisão no tratamento e atendimento das demandas do setor produtivo.

Entre as outras resoluções aprovadas na reunião estão, também, o estabelecimento de critérios e diretrizes para instituição, credenciamento e funcionamento dos Conselhos do Trabalho, Emprego e Renda (CTER) nas Unidades da Federação e municípios, no âmbito do Sine, e a Metodologia do Mapa de Demandas de Qualificação Social e Profissional (MDQSP) para o exercício de 2019.

Inovação simplifica serviços bancários

A inovação tecnológica tem levado os bancos a digitalizar serviços, reduzindo os custos, e a simplificar o acesso ao mercado e à informação, disse nesta quarta (27), em Brasília, o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto.

Ele esteve na abertura LiftDay, evento realizado pela autarquia em parceria com a Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central (Fenasbac).

A promoção é resultado do Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (Lift), criado para incentivar inovações em tecnologia da informação ligadas ao Sistema Financeiro Nacional.

Na primeira chamada de projetos do Lift, ocorrida em maio de 2018, o BC recebeu 79 propostas válidas e 18 delas foram selecionadas.

Mapeamento Spin tem continuidade

Os interessados em participar do mapeamento startup-indústria realizado pela Spin, terão até meados de abril para preencher o questionário - a empresa estendeu o limite até o mês que vem, ainda sem data definida para a conclusão.

O questionário pode ser acessado no site. As indústrias e startups participantes receberão, em primeira-mão, os resultados do levantamento.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?