Não há outro assunto que se fale aqui em Brasília – no meio político e econômico que não a soltura do ex-presidente Lula. Engana-se quem imagina que Lula possa ser uma ameaça. Mas ele precisa apresentar-se assim, para tentar sobreviver.

Me parece muito uma história milenar, que apesar de mito antiga e até conhecida, passa desapercebida aos olhos dos apaixonados pelo ex-presidente.

Era uma vez o Rei Leão. Colocou uma placa na porta, anunciando que o Rei estava doente. Toda a bicharada espalhou a notícia. Um a um foram chegando para visitar o Rei doente, que não era visto pelas matas. A Raposa tomou o caminho da toca do Leão, vendo que todos os bichos estavam fazendo essa visita. Porém, ao chegar à porta da toca, ela se tocou e ligou o "desconfiômetro".

Só havia pegadas de entrar e nenhuma de sair da toca! Saiu de mansinho antes de entrar e foi dizendo pra si mesma: "Buraco onde só tem entrada e não há retorno de ninguém, eu não entro!" Foi assim que salvou sua preciosa pele.

A moral da história é que Lula é esse Leão doente. Está velho, abatido, cansado dos 580 dias de cadeia – mas muito longe de deixar de ser sábio – até nos exageros, nos conceitos, faminto e com sede de vingança.

Disputado entre o ódio, de uns, a repulsa de outros, a admiração de muitos e a refutação de seus algozes, não era de se esperar outra forma de ele estar em liberdade senão fazendo-se fera ferida. E com fome. Só assim mete medo. Demarcou seu território, puxou pra si palanque e holofotes e precisa (agora) aproveitar a disposição da mídia de fazê-lo manchete, destaque e matéria.

A Caravana que se propõe a fazer nada mais é do que a mesma caravana que mais parece o paletó usado em muitas festas. Torna-se batido.

Corre um sério risco de ser refutado em algumas cidades como foi em restaurante já na sexta-feira. O outro risco é propositivo – se souber usar da inteligência. Com Lula solto, o PT cresce e volta a ser o que sempre foi polêmico, custoso, robusto e valente – tal qual o seu Leão com Lula fora, nada disso acontece.

O que tanto a mídia quanto as pessoas desinformadas – e pra isso a grande mídia deixa de cumprir seu papel que deveria ser esclarecedor – deixam de tornar claro é que o ex-presidente está apenas liberado de cumprir a pena. Não confundam soltura com liberdade. Entre um estágio e outro há uma grande diferença. Mas, se deixarem a fera engole até as visitas. Se sacia, se revigora e volta – aliás, engole até a Lei e suas premissas, porque a fome – em qualquer ocasião, não perdoa. Pode-se até brigar com o Lula, mas não pode-se brincar com a fome dele.

 

 

 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger