Foto Istock

Foto Istock

O tempo vale mais do que o dinheiro. Essa frase pode ser interpretada de várias formas, mas quando falamos do conceito de juros compostos, o tempo é valioso e faz jus à afirmação!

O significado de juros compostos é muito simples: é o dinheiro aplicado a uma taxa de juros ao longo do tempo. Essa matemática faz o seu dinheiro crescer de forma não linear e, mesmo que comece com pouco dinheiro, você pode chegar mais longe do que imagina.

Se considerarmos as três variáveis de um investimento que são dinheiro, taxa de juros e tempo, qual você apontaria como mais importante?

Quero exemplificar esse tema com a história de dois amigos que possuem os mesmos objetivos e capacidade de poupar.

Vamos ver onde eles chegam?

O primeiro poupador se chama Mario, tem 30 anos, formou-se em engenharia, não tem filhos e poupa R$ 1 mil por mês.

O segundo é o Fernando, tem 30 anos e se formou com o Mario em engenharia, também não tem filhos, porém, não pensa em poupar agora.

Mario tem a preocupação de construir um futuro financeiro, mesmo ainda sem família. Desde já pensa na sua independência financeira e poupará R$ 1 mil por mês nos próximos 25 anos. Fernando não está preocupado com o futuro, quer priorizar carros e viagens e, por isso, não poupa nada.

Mario e Fernando seguem com vidas próximas e cinco anos depois o assunto “plano de investimento” surge, onde Mario comenta a conquista do patrimônio durante os últimos cinco anos.

Depois da conversa, Fernando percebeu o tempo perdido e decide poupar R$ 1,3 mil por mês por 20 anos. No final de todo o período eles combinaram de comparar os resultados obtidos.

Vamos imaginar que os dois aplicaram nos mesmos investimentos, logo, receberam a mesma taxa de juros.

Independentemente da taxa de juros pactuada, queremos saber o que fez diferença: a quantidade de dinheiro poupado ou os cinco anos a mais do Mario?

25 anos depois...

Mario poupou R$ 1 mil por mês, durante 25 anos, a uma taxa de juros média de 0,50% ao mês. Fernando poupou R$ 1.3 mil por mês, durante 20 anos, a uma taxa de juros média de 0,50% ao mês.

E aí? Quem chegou mais longe? Mario ou Fernando?

Se você pensou no Fernando, errou! Isso mesmo. Mario atingiu um patrimônio maior pelo fato de ter começado 5 anos antes.

Fernando fez um esforço maior, poupando 30% a mais durante 20 anos, entretanto o fator tempo levou o troféu. Veja de perto:

Mario acumulou R$ 692.993,96, poupando R$ 1 mil durante 25 anos. Fernando acumulou R$ 600.653,16, poupando R$ 1,3 mil durante 20 anos.

Poupar sempre

O ditado da matemática é sempre o mesmo: ou você ama ou você odeia. Mas se você está disposto a pensar sobre a sua independência financeira, ela pode ser sua aliada. Lembra do seu primeiro emprego? Imagine se você tivesse começado a poupar desde o seu primeiro dia de trabalho?

Bom, não se preocupe com o passado; afinal, não é possível recuperar o tempo. Agora, reflita sobre o seu futuro e onde você quer chegar.

Lembre-se: Quando você vai começar importa mais do que quanto você vai guardar. A beleza dos juros compostos está no tempo; então, priorize-o e comece hoje!