Foto Divulgação
Foto Divulgação

Desde muito pequenos já ouvimos e aprendemos a poupar, seja com um cofrinho para guardar as moedas ou uma conta de investimentos que os pais iniciam.

Então, chegamos ao mercado de trabalho com objetivos: adquirir veículo, imóvel, fazer a reserva financeira pensando na aposentadoria, enfim, construir um patrimônio.

E agora? Depois de todas estas conquistas o que acontece com este patrimônio? Em vida usufruímos, mas e depois? Este patrimônio será de alguém quando chegar o momento de nossa ausência.

E então encontramos a necessidade de um planejamento patrimonial onde o principal objetivo é minimizar a condução de um processo de inventário extenso e burocrático, assim como também reduzir os impactos financeiros sobre o patrimônio.

Após o falecimento apenas uma vida continua: a vida fiscal.

O cronograma leva aproximadamente 12 meses se tudo ocorrer bem:

  • Realizar o inventario;
  • Definir os herdeiros;
  • Dividir os bens;
  • Pagar os impostos e custos do processo.

O patrimônio que vai para inventário será tributado pelo ITCMD (Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação), que pode variar de 1% a 8% dependendo do estado.

O Estado de Santa Catarina utiliza o sistema de cobrança progressiva, conforme o valor a ser transmitido. Considerando ITCMD, custos de cartório e advogados, os gastos com a sucessão podem representar até 20% do valor total a ser transmitido.

Preparando a família

Você já pensou se sua família está preparada? Existem algumas ferramentas que auxiliam nesse processo:

Previdência Privada

Embora exista a questão do ITCMD na previdência complementar por alguns estados, é importante analisar o demais benefícios:

  • Pode ser utilizada como ferramenta para sucessão patrimonial, sendo que possibilita a escolha dos beneficiários assim como o percentual destinado a cada um;
  • Na falta do titular do plano, os recursos são liberados em média de 30 dias, garantindo liquidez aos beneficiários para o momento do inventário;
  • Economia com custos advocatícios e judiciais que representam aproximadamente 10%.

Seguro de Vida

Diferente da previdência privada, onde você precisa ter acumulado o capital para poder destinar ao beneficiário, no seguro de vida você está comprando uma proteção.

Ou seja, a partir do momento de contratação e pagamento inicial você já tem o capital a ser embolsado pelo beneficiário, lhe trazendo mais tranquilidade para se algo inesperado lhe ocorrer até mesmo antes da formação do seu patrimônio.

Além disso, sobre o crédito do seguro de vida não incide ITCMD e é destinado aos beneficiários conforme percentuais distribuídos pelo segurado.

Lembrando que sempre deve ser analisado as cláusulas do seguro que estará contratando para analisar a abrangência de sua cobertura.

Holding Financeira

Outra ferramenta para a transmissão de herança, onde a estrutura é uma empresa na qual ficam os bens da família e os herdeiros terão cotas ou ações. A Holding poder ser compostas por:

  • Participações societárias de empresas;
  • Bens imobiliários;
  • Ativos financeiros.

Pense no futuro

Analise se sua ausência fosse hoje. Você estaria tranquilo com a situação patrimonial de sua família?

Reflita quais são as suas necessidades e converse com um profissional que possa elaborar um planejamento patrimonial com a ferramenta que encaixe em seu perfil.

Afinal, tudo o que conquistou durante a vida deve continuar, principalmente a proteção de sua família.

 

 Por Ludmila Marques