Uma herança para todos

Colunistas

Por: Patricia Moraes

terça-feira, 04:00 - 21/06/2016

Patricia Moraes
O plano de mobilidade e o novo edital do transporte coletivo podem não render votos imediatos, porém, com certeza - se bem utilizados - serão uma importante herança do governo Dieter Janssen ao município. Nunca Jaraguá do Sul discutiu com tantas riquezas de detalhes e informações o ir e vir das pessoas, as facilidades e as dificuldades de locomoção. O plano vem sendo elaborado desde novembro de 2014. Além das pesquisas feitas pela empresa Urbtec, de Curitiba, um grupo de trabalho composto por cerca de 80 pessoas vem discutindo mensalmente as questões apontadas. No site do Instituto Jourdan dá para conhecer os documentos na íntegra. Matéria da edição de hoje assinada pela repórter Kamila Schneider mostra as principais dificuldades da mobilidade do município. São falhas que impedem, por exemplo, o crescimento e as melhorias no transporte coletivo. O sistema conta com 23 linhas, com mais de 300 itinerários diferentes. O ideal é que se tenha o mesmo número de linhas e itinerários. A situação atual é fruto de um crescimento desordenado. O resultado é que nem os usuários diários entendem qual a lógica do sistema. Assim, fica difícil atrair mais pessoas para modalidade. Ainda no quesito transporte coletivo, outra conclusão é que a Prefeitura precisa gerir o sistema. Quando Dieter assumiu, em 2012, o município não tinha argumentos nem para questionar o aumento da tarifa sugerido pela concessionária. Hoje, a situação já melhorou. O plano abrange muitas outras coisas. Entre elas, aponta que a cidade carece de mais ciclovias e que elas sejam interligadas, tanto para os roteiros industriais quanto de lazer. O déficit no número de táxis também é uma dificuldade. A geografia e as rodovias criam gargalos, por isso, é preciso criar opções. Os pedestres precisam andar por calçadas dentro das normas. Hoje, as ruas Marechal Deodoro da Fonseca e Reinoldo Rau são exemplo de acessibilidade. Os detalhes dos planos serão conhecidos e debatidos durante audiência pública marcada para próxima segunda-feira, às 18h30, no Cejas. O encontro é aberto à comunidade e pré-requisito para todos os pré-candidatos realmente interessados em conhecer a realidade do município que estão dispostos a governar e legislar. O objetivo final do Plano de Mobilidade é fornecer informações capazes de melhorar a cidade para quem está de carro, de ônibus, de bicicleta ou a pé.

* * *

Foto: Eduardo Montecino/OCP Online
Foto: Eduardo Montecino/OCP Online
Jaraguá do Sul 140 anos Em coletiva de imprensa na manhã de ontem, o prefeito Dieter Janssen (PP) anunciou a programação pelas comemorações do aniversário do município com destaque para as inaugurações. Dieter também esclareceu que a passagem da Tocha Olímpica não teve e não terá nenhum custo à Prefeitura. O assunto vinha gerando polêmica nas redes sociais.

* * *

Socorro aos hospitais Deve ir à votação na Assembleia Legislativa esta semana o projeto de lei que trata da criação do Fundo Estadual de Apoio aos Hospitais Filantrópicos, com aporte inicial de R$ 50 milhões, recursos oriundos de sobras do Legislativo estadual em 2015. Na Secretaria de Estado da Saúde e nos hospitais filantrópicos é grande a expectativa pela aprovação. Só aos hospitais de Jaraguá do Sul, o Estado deve mais de R$ 9 milhões. O impasse para criação do fundo reside na gestão dos recursos. O texto inicial previa a destinação da verba por meio da Secretaria Executiva de Supervisão de Recursos Desvinculados, entretanto, há quem defenda, como o deputado Vicente Caropreso (PSDB), a administração da verba pela Secretaria da Saúde. A principal alegação é agilidade na liberação e o conhecimento das demandas e necessidades do segmento.

* * *

Nenhuma palavra A confirmação da condenação do presidente da Câmara, José de Ávila (PSC), por venda ilegal de medicamento, não gerou sequer um comentário na tribuna. Os vereadores, que poderiam abrir uma comissão processante definindo a perda de mandato, preferem fingir que nada aconteceu.

EM FOCO

• Atendendo requerimento da vereadora Natália Petry (PMDB), a Câmara vai realizar no dia 29, às 19h, audiência pública para tratar sobre a passagem de trens na área urbana de Jaraguá do Sul. Autor da lei que proíbe a circulação dos vagões nos horários de pico em Joinville, Odir Nunes (PSD) deve participar. A Rumo-ALL também enviará representantes. • PP, PMDB e PSDB seguem conversando sobre as tratativas eleitorais. Mas, como em 2012, a aliança só deve ser formalizada no fim do prazo para as convenções, 5 de agosto. • Pré-candidato pelo PMDB, o empresário Antídio Lunelli já passou até por media training, com o objetivo de aperfeiçoar sua capacidade de se relacionar com os jornalistas. • No PSD e PSB a dificuldade é fechar a dobradinha Jair Pedri e Ivo Konell. Ambos insistem que serão cabeças de chapa. • Em Guaramirim, Nilson Bylaardt (PMDB) promete que, se voltar à Prefeitura, vai reimplantar o sistema Positivo nas escolas municipais. • A vereadora Natália Petry (PMDB) pretende reapresentar hoje o Projeto de Lei rejeitado pelos colegas na semana passada que pretendia identificar os fios de telefone, internet e tevê a cabo excedentes nos postes da rede elétrica. Surpresos com a opinião pública, Arlindo Rincos, João Fiamoncini, Jeferson Oliveira, Jocimar de Lima, Ademar Winter e José de Ávila podem mudar de posição e apoiar a iniciativa. • A Câmara de Vereadores de Schroeder aprovou projeto mantendo o mesmo salário para a próxima legislatura. De 2017 a 2020, os vereadores vão receber 5.104,92, o prefeito R$ 18.727,88, o vice-prefeito R$ 9.363,94 e os secretários municipais R$ 7.502,53. A lei assegura a revisão geral anual dos subsídios baseada na inflação. Único parlamentar a votar pela rejeição do projeto, Aurino Wudke (PR) defendia corte nos subsídios. Em Jaraguá do Sul, a promessa é que também não haverá aumento.
×