O segundo turno é o momento ideal para que os candidatos apresentem com mais detalhes suas propostas e história. Quando os concorrentes são poucos conhecidos, não tiveram mandatos, fica ainda mais clara a necessidade de exposição. A ausência de debate, porém, não contribui para isso.

O eleitor de Santa Catarina, infelizmente, não pode comparar frente a frente como se comportariam Comandante Moisés, do PSL, e Gelson Merisio, do PSD. O candidato do 17, horas antes do encontro que seria promovido pela NSC TV na noite de quinta-feira, anunciou agravamento de problemas de saúde - infecção respiratória - e desistiu de participação no debate.

A emissora então entrevistou Merisio por 20 minutos no mesmo horário. Quem perde é o eleitor catarinense. Candidato do tsunami Bolsonaro, Moisés chegará à eleição ainda sendo uma incógnita.