Segundo balanço divulgado ontem pela Prefeitura de Jaraguá do Sul, 1.176 solicitações de munícipes foram resolvidas no primeiro quadrimestre do ano. Dentre elas, 843 recebidas através da Ouvidoria do município e 333 recebidas diretamente na Secretaria de Obras. No mutirão anunciado em fevereiro pelo governo, foram 305 quilômetros de manutenção de ruas não pavimentadas, com patrolamento, macadamização e limpeza. Entre pavimentação sendo executada ou já com ordem de serviço, foram 10 ruas beneficiadas com novo pavimento e recapeadas, num total de 6,03 quilômetros nos quais foram investidos mais de R$ 8 milhões. Em fase de licitação está a futura Via Verde, na Ilha Figueira, com recursos na ordem de R$ 4 milhões. No balanço aparecem também as ruas Oscar Schneider, no bairro Jaraguá 99, e Adelaide Toffol, na Tifa Martins, ambas já estão com as respectivas ordem de serviço emitidas. O relatório destaca ainda a pavimentação em concreto do acesso de 957 metros à Chiasetta Alpina, no Boa Vista, um dos pontos turísticos de Jaraguá do Sul, orçado em cerca de R$ 1 milhão. Além dessas melhorias, é esperado para hoje um anúncio do governo de novos investimentos em pavimentação com uma soma que beira os R$ 13 milhões. Internamente, depois de conseguir recursos através de emendas e financiamentos, a pressa do prefeito Dieter Janssen era em garantir que as obras pudessem liberadas antes do período proibido por lei eleitoral.

* * *

Divulgação
Divulgação
Socorro aos hospitais O prefeito Dieter Janssen e o empresário Vicente Donini voltaram a alertar o governador Raimundo Colombo ontem para as dificuldades financeiras enfrentadas pelos hospitais de Jaraguá do Sul. O Estado deve mais de R$ 5 milhões aos hospitais Jaraguá e São José. O município espera uma solução para o impasse até o início da próxima semana. Depois disso, as unidades devem cortar alguns serviços ofertados pelo SUS.

* * *

Perto do caos O secretário Ademar Possamai esclareceu aos vereadores e servidores da Saúde que estiveram presentes na Câmara ontem, os motivos que fazem a administração cogitar cortes nas remunerações. A folha de pagamento está inchada, chega aos 53,9%, e as perdas de recursos somam R$ 9 milhões. A Prefeitura espera da Casa decisão sobre o corte nas gratificações, que pela demora subiu de 20% para 50%. Já o corte nas funções gratificadas do setor, por enquanto, é só hipótese. “Estamos com empresas fazendo redução de jornada e salários, o serviço público não tem essa brecha. Estamos perto do caos. Se não tiver redução na despesa, não sei como vamos fechar as contas”, disse.

* * *

Proteção aos animais O gabinete da vereadora Natália Petry (PMDB) intermedia hoje, às 19h, reunião da comissão provisória responsável por elaborar uma proposta para criação de um Conselho Municipal de Proteção Animal. O encontro terá a participação de entidades, protetores individuais, representante da Defensoria Pública, da Secretaria da Saúde e do Legislativo. A criação da comissão foi um dos encaminhamentos tirados da audiência pública. O próximo passo será a formalização de um fundo para custear as atividades de proteção.

LEIA A COLUNA COMPLETA NA VERSÃO DIGITAL DO JORNAL O CORREIO DO POVO