O prefeito de Joinville Udo Döhler (MDB) vetou o projeto que obrigava a divulgação no Portal da Transparência da Prefeitura de informações detalhadas de obras em galerias de água da chuva (PLO 48/2018). Um dos argumentos é que o projeto de lei cria “complexidade operacional” e “custos desconhecidos” à administração pública municipal.

Leia mais: "Pinho Moreira viaja e presidente do TJ vai sancionar criação de cargos"

O prefeito diz, no texto do veto, que “o valor gasto em cada reparo é uma informação não mensurável pelas subprefeituras”, já que esses custos estariam incluídos em gastos com pessoal, equipamentos e materiais. Sobre a disponibilidade de informações a respeito da previsão de novas intervenções, o texto do veto argumenta que as intervenções ocorrem “conforme os eventos e danos surgirem, não sendo possível a previsão de quais danos ocorrerão”.

O relator do veto na Comissão de Legislação deve ser definido nas primeiras reuniões da comissão após o recesso legislativo, que termina na próxima terça, dia 31. O veto pode ser rejeitado ou mantido pelos vereadores. Para tanto, será analisado e votado na Comissão de Legislação, onde receberá um parecer, que, depois, será votado em Plenário.