Pela segunda vez desde a redemocratização, o Senado Federal tomou a decisão de afastar do cargo um presidente da República eleito pelo voto popular, 24 anos depois da queda de Fernando Collor de Mello. A decisão, tomada por 55 votos a 22 e em uma sessão que começou na quarta-feira às 10h e só terminou nesta quinta pela manhã, confirmou o que já se previa desde o ano passado: o afastamento de Dilma Rousseff, primeira mulher eleita presidente do Brasil, e a interrupção do ciclo de 13 anos e meio do PT no poder.

Ainda hoje, Dilma será notificada e terá de abandonar suas funções. Ato contínuo, assume a Presidência da República o vice-presidente Michel Temer (PMDB), que já tem formado grande parte dos eu ministério. Ele ficará no cargo inicialmente até 180 dias — prazo máximo para o Senado processar e julgar a presidente. Se ao fim do processo o impeachment for consumado, Temer assumirá a cadeira definitivamente.

Temer anunciará um Ministério essencialmente composto de políticos — quase todos seus ministros serão deputados, senadores ou ex-parlamentares. O peemedebista promete  viabilizar já as reformas trabalhista e previdenciária, promover o encolhimento do Estado, reduzindo o intervencionismo que marcou os governos do PT, e estimular a participação do setor privado, especialmente na infraestrutura.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), explicou que Dilma Rousseff terá direito de permanecer na residência oficial de presidente no período que vai até o julgamento final.  "A partir do recebimento está instaurado o processo de impedimento por crime de responsabilidade ficando V. excs suspensa das funções de presidente da República até a conclusão do julgamento do Senado ou a decorrência do prazo. E mantendo durante este período: segurança pessoal. uso de residência, assistência saúde, transporte aéreo e terrestre e equipe a serviço do gabinete pessoal", diz comunicado oficial.

Senadores catarinenses votam sim para o impeachment. Veja os outros:

 Depois de quase 24  horas de sessão, o Senado decidiu por 55 votos a 22, na manhã desta quinta-feira, o afastamento por até 180 dias da presidente Dilma Rousseff.

 Saiba como cada senador votou:

 - Acir Gurgacz (PDT-RO) SIM

- Aécio Neves (PSDB-MG) SIM

- Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) SIM

- Alvaro Dias (PV-PR) SIM

- Ana Amélia (PP-RS) SIM

- Ângela Portela (PT-RR) NÃO

- Antonio Anastasia (PSDB-MG) SIM

- Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) SIM

- Armando Monteiro (PTB-PE) NÃO

- Ataídes Oliveira (PSDB-TO) SIM

- Benedito de Lira (PP-AL) SIM

- Blairo Maggi (PR-MT) SIM

- Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) SIM

- Ciro Nogueira (PP-PI) SIM

- Cristovam Buarque (PPS-DF) SIM

- Dalirio Beber (PSDB-SC) SIM

- Dário Berger (PMDB-SC) SIM

- Davi Alcolumbre (DEM-AP) SIM

- Donizeti Nogueira (PT-TO) NÃO

- Edison Lobão (PMDB-MA) SIM

- Eduardo Amorim (PSC-SE) SIM

- Eduardo Braga (PMDB-AM) AUSENTE

- Elmano Férrer (PTB-PI) SIM

- Eunício Oliveira (PMDB-CE) SIM

- Fátima Bezerra (PT-RN) NÃO

- Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) SIM

- Fernando Collor (PTC-AL) SIM

- Flexa Ribeiro (PSDB-PA) SIM

- Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) SIM

- Gladson Cameli (PP-AC) SIM

- Gleisi Hoffmann (PT-PR) NÃO

- Hélio José (PMDB-DF) SIM

- Humberto Costa (PT-PE) NÃO

- Ivo Cassol (PP-RO) SIM

- Jader Barbalho (PMDB-PA) AUSENTE

- João Alberto Souza (PMDB-MA) SIM

- João Capiberibe (PSB-AP) NÃO

- Jorge Viana (PT-AC) NÃO

- José Agripino (DEM-RN) SIM

- José Maranhão (PMDB-PB) SIM

- José Medeiros (PSD-MT) SIM

- José Pimentel (PT-CE) NÃO

- José Serra (PSDB-SP) SIM

- Lasier Martins (PDT-RS) SIM

- Lídice da Mata (PSB-BA) NÃO

- Lindbergh Farias (PT-RJ) NÃO

- Lúcia Vânia (PSB-GO) SIM

- Magno Malta (PR-ES) SIM

- Marcelo Crivella (PRB-RJ) SIM

- Maria do Carmo Alves (DEM-SE) SIM

 - Marta Suplicy (PMDB-SP) SIM

 - Omar Aziz (PSD-AM) SIM

- Otto Alencar (PSD-BA) NÃO

- Paulo Bauer (PSDB-SC) SIM

- Paulo Paim (PT-RS) NÃO

- Paulo Rocha (PT-PA) NÃO

- Raimundo Lira (PMDB-PB) SIM

- Randolfe Rodrigues (REDE-AP) NÃO

- Regina Sousa (PT-PI) NÃO

- Reguffe (S/PARTIDO-DF) SIM

- Renan Calheiros (PMDB-AL) NÃO VOTOU

- Ricardo Ferraço (PSDB-ES) SIM

- Roberto Requião (PMDB-PR) NÃO

- Roberto Rocha (PSB-MA) SIM

- Romário (PSB-RJ) SIM

- Romero Jucá (PMDB-RR) SIM

- Ronaldo Caiado (DEM-GO) SIM

- Rose de Freitas (PMDB-ES) SIM

- Sérgio Petecão (PSD-AC) SIM

- Simone Tebet (PMDB-MS) SIM

- Tasso Jereissati (PSDB-CE) SIM

- Telmário Mota (PDT-RR) NÃO

- Valdir Raupp (PMDB-RO) SIM

- Vanessa Grazziotin (PCDOB-AM) NÃO

- Vicentinho Alves (PR-TO) SIM

- Waldemir Moka (PMDB-MS) SIM

- Walter Pinheiro (S/PARTIDO-BA) NÃO

- Wellington Fagundes (PR-MT) SIM

- Wilder Morais (PP-GO) SIM

- Zeze Perrella (PTB-MG) SIM

Dalírio Beber, Dário Berger e Paulo Bauer (Foto: Divulgação)
Dalírio Beber, Dário Berger e Paulo Bauer (Foto: Divulgação)