O pleito municipal de outubro será o primeiro com as novas regras aprovadas na minirreforma eleitoral -  que diminuíram o tempo de campanha e proibiram as doações das empresas, por exemplo,  e também será o primeiro a acontecer depois do forte impacto da Lava Jato e do impeachment da presidente da República. Saber como vão se comportar eleitores, candidatos e financiadores é um grande desafio para quem trabalha com política. Para o cientista político Jeison Heiler, a Lava Jato terá efeitos nestas eleições, sobretudo, para o PT.  O que, segundo ele, é curioso, pois o PMDB, por exemplo, teve uma participação expressiva tanto no governo quanto nos episódios de corrupção. “É curioso, mas compreensível já que o partido no poder era o PT. Uma imagem que podemos fazer é a seguinte: as eleições deste ano constituirão o tribunal do júri para os envolvidos na Lava Jato. O juiz será o eleitor. Por ora, apesar de muitos envolvidos, está sentado no banco dos réus apenas o PT. Não sabemos ainda se a permanência do PMDB no poder com Michel Temer poderá colocá-lo também no centro do tribunal para sentar no banco dos réus ao lado do PT. Eu creio que não. Mas fatos novos estão surgido a cada dia”, diz Jeison Heiler. O cientista lembra que a minirreforma política proibiu a doação de empresas para as campanhas eleitorais, mas que, contudo, o caixa 2 ainda é de difícil controle e pode gerar uma enxurrada de denúncias este ano. “E isto não é culpa do sistema político ou dos políticos. O fato é que muitas empresas possuem caixa 2 e dirigiam parte destes recursos para as eleições. Ocorre que com a Lava Jato os financiadores empresariais devem estar muita mais esquivos a este tipo de prática. Com isso, as chances de candidatos com grande poder de autofinanciamento devem ser maiores nestas eleições do que em outras”, prevê. linha azul
Foto: Eduardo Montecino/OCP Online
Foto: Eduardo Montecino/OCP Online
Por segurança Para evitar acidentes, a Secretaria de Obras fechou ontem a passagem por baixo do viaduto da Waldemar Grubba. A obra, de responsabilidade do governo federal, não tem prazo para ser entregue. linha azul Projeto da Praça do Empreendedor avança O projeto de implantação da Praça do Empreendedor avançou mais uma etapa ontem. O vice-presidente de Núcleos Setoriais da Acijs, Tiago Coelho, e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Márcio Manoel da Silveira, receberam o gerente regional Norte-Sul do Grupo Tenco, proprietário do Jaraguá do Sul Park Shopping, juntamente com o gerente de marketing Thiago Sarmanho e o coordenador comercial Lucas Falcão, para tratar da viabilização do espaço. Conforme Tiago Coelho, houve a sinalização positiva para que a estrutura que vai reunir órgãos da Prefeitura, da Junta Comercial e do Corpo de Bombeiros, que atuam nos processos de abertura de empresas, passem a oferecer o atendimento em uma área com cerca de 200 metros quadrados colocados à disposição pelo shopping. Com isso, o próximo passo deve ser a formalização de um protocolo para que esta estrutura inicie o funcionamento após o período eleitoral. linha azul Prefeito volta a decretar o turno único Preocupado com a queda na arrecadação e com o comprometimento do orçamento com a folha de pagamento, o prefeito de Guaramirim Lauro Fröhlich (PSD) reuniu secretários e diretores ontem e anunciou que a partir do dia 18 a Prefeitura volta a atender em horário reduzido, das 8h às 14h, com exceção da Secretaria de Infraestrutura, que trabalhará das 7h às 13h. “É preciso apertar um pouco mais, para que possamos fechar o mandato  com todos os compromissos financeiros cumpridos”, diz Fröhlich. linha azul eleicoes 2016• Faltando um mês para o registro de candidaturas, o empresário Antídio Lunelli reafirma o desejo de concorrer e diz que o “PMDB vai ter candidato a prefeito independente de qualquer outra circunstância”. Apesar disso, ele diz que a relação com o PP é a mais respeitosa possível e que as duas siglas têm conversado sobre uma possível aliança. • O empresário admite que as grandes mudanças necessárias para o município e a economia voltarem a crescer dependem muito de esfera federal e diz que na Prefeitura é preciso trabalhar com economia de recursos. • Sendo até então um defensor do polêmico deputado Jair Bolsonaro, - que entre outras coisas já disse que a mulher deveria receber um salário menor do que os homens -, agora, como pré-candidato, Antídio afirma que não é um avalista das opiniões do parlamentar. “Vejo a participação das mulheres na política como fundamental, o olhar feminino é muito importante e mais humano”, argumenta. • PCdoB e DEM já manifestaram desejo de continuar na aliança apoiando a candidatura de Dieter Janssen. O aceno ao PMDB acontecerá somente se Dieter desistir de concorrer. • Errei. Troquei os nomes na edição de ontem, peço desculpa aos leitores. A ponte inaugurada por Dieter Janssen – a maior do município – é a Ponte do Rau e não do Centenário.