MINISTRO FIESC O ministro da Educação, José Mendonça Bezerra Filho (E), esteve em Florianópolis para conhecer detalhes do programa Movimento SC pela Educação, implantado pela Federação das Indústrias de Santa Catarina em 2010. Bezerra Filho lembrou que o programa tem caráter inédito no País e deve ser replicado em outros estados, como já aconteceu em Rondônia, com inspiração na ação catarinense. O presidente da Fiesc, Glauco José Côrte (C), observou que em 2010 apenas 48% dos trabalhadores da indústria tinham o ensino básico completo, e que Santa Catarina sempre se destaca pela qualidade e pela sua posição em termos de educação. Hoje, 55% dos trabalhadores têm educação básica completa. Parte disso se deve aos esforços do setor público mas também ao que se fez junto à indústria catarinense, observou Côrte. A iniciativa, liderada pela FIESC, mobiliza, além da indústria e das federações de trabalhadores, a agricultura, o comércio e o transporte para uma atuação mais efetiva, visando melhorar os indicadores educacionais. Entre as ações estão a aprovação de lei que estabelece o Dia Estadual da Família na Escola (16 de abril), os projetos “Conexão Jovem” e “Eu Voluntário: deixando o meu legado”, a abordagem do tema gestão escolar em seminários que já reuniram mais de três mil participantes, além da parceria firmada com o Google para criar escolas-referência no uso de tecnologias educacionais. Segundo o secretário estadual da Educação, Dario Dechampas (D), experiências desta natureza, que são bem-sucedidas, têm ajudado a melhorar os indicadores de qualidade da educação em Santa Catarina e auxiliado o setor produtivo a se qualificar na competição internacional. linha azul Melhorando A confiança dos industriais catarinenses na economia sinaliza uma melhora. O índice de julho alcançou 46,9 pontos e foi o melhor resultado desde abril de 2014, mostra a pesquisa Índice de Confiança do Empresário Industrial da Federação das Indústrias de Santa Catarina divulgada esta semana. Apesar do resultado, o indicador continua abaixo dos 50 pontos e longe da média histórica de 53,3 pontos. Os valores variam de zero a cem. Quando estão abaixo de 50 revelam falta de confiança dos empresários. linha azul Insegurança Deputado Vicente Caropreso (PSDB) manifestando preocupação com quadrilhas agindo na região do Vale do Itapocu, “um lugar calmo e tranquilo e nós indefesos com a falta de efetivos policiais”. E, diga-se, com o pouco caso de sucessivos governos com a segurança pública catarinense, neste aspecto não é de se esperar que nos próximos dez anos- e sem nenhum exagero- o quadro atual melhore. Resumindo, a população só faz crescer (inclusive a de bandidos), os recursos orçamentários ficam sempre aquém das necessidades e, para piorar ainda mais, não se sabe quando o país, vivendo em total desequilíbrio financeiro, retomará seu caminho. linha azul Competitividade A primeira edição do Índice de Competitividade Regional das 36 Agências de Desenvolvimento Regional mostra que a região da Grande Florianópolis é a mais competitiva do Estado (7,03), seguida por Blumenau (6,59), Jaraguá do Sul (6,32) e Joinville (6,07). O levantamento da secretaria estadual da Fazenda leva em conta os indicadores de 10 fatores de competitividade: educação básica, educação superior, saúde, mercado de trabalho, sustentabilidade social, sustentabilidade ambiental, infraestrutura, tamanho da economia, solidez fiscal e segurança pública. linha azul Fundo hospitalar O Diário Oficial do Estado publicou ontem (20) a lei nº 16. 968, sancionada pelo governador Raimundo Colombo criando o Fundo Estadual de Apoio aos Hospitais Filantrópicos de Santa Catarina,  que inclui o Hemocentro de Santa Catarina (Hemosc),  o Centro de Pesquisas Oncológicas (Depon) e hospitais municipais. O fundo terá recursos iniciais de R$ 50 milhões das sobras orçamentárias da Assembleia Legislativa, que este ano devem totalizar R$ 100 milhões. O fundo será constituído, principalmente, por recursos viabilizados em devoluções orçamentárias de forma voluntária dos poderes Legislativo, Judiciário, do Ministério Público e do Tribunal de Contas, além de doações de contribuintes tributários  A lei prevê que, no mínimo, 90% do total de recursos do fundo sejam destinados à realização de cirurgias eletivas de baixa, média e alta complexidade. linha azul CURTAS Deputados mais votados aqui na região do Vale do Itapocu se apressaram em registrar fotos e vídeos sobre a retomada das obras do viaduto da Waldemar Grubba, como se tivessem se esforçado ao máximo neste sentido. Ao contrário, nenhum deles é o “pai da criança”. Aliás, não tem demonstrado preocupação nem mesmo com as obras de duplicação da BR-280 a partir de São Francisco do Sul. Coincidência ou não, o trabalho no viaduto recomeçou depois de apelo pessoal do prefeito Dieter Janssen (PP), que já havia notificado o DNIT em janeiro passado, ao deputado Esperidião Amin (PP). ••• Registro do deputado Leonel Pavan (PSDB), gaúcho de Sarandi, sobre os 52 anos de emancipação política de Balneário Camboriu, onde está radicado desde os anos 1980: “É a primeira cidade entre os municípios turísticos com a melhor qualidade de vida. Quando assumi (como prefeito) a primeira vez ficava entre as 50 melhores do Estado, hoje disputa com Blumenau, Jaraguá do Sul e Florianópolis”. ••• Sepultado em Florianópolis, onde morava, o ex-deputado Evaldo Amaral, 92 anos, nascido em Lages e que também foi prefeito de Curitibanos, cidade onde, antes, foi vereador. Bancário de profissão, o primeiro de três mandatos de deputado estadual pela então Aliança Renovadora Nacional (Arena) foi conquistado nas urnas em 1958, com a expressiva (à época) marca de mais de cinco mil votos. Por um ano (1973/1974) foi secretário de Administração do governo de Colombo Machado Salles. ••• Vitor Fontana, um dos grandes cérebros dos negócios da Sadia e primo de Atílio Fontana, este o mentor de criação deste gigantesco complexo agroindustrial foi quem completou 100 anos no domingo (17). Omar Fontana, filho de Atilio, outro grande empreendedor, fundou as duas primeiras e únicas empresas de aviação genuinamente catarinenses. Primeiro a Sadia S/A Transportes Aéreos, em 1955. Depois, em 1995, a Transbrasil para transporte de passageiros, incluindo vôos internacionais. ••• Em Santa Catarina, pelo menos dois prefeitos desistiram de tentar a reeleição em outubro alegando que a crise financeira que o país atravessa, sem prazo de solução, impossibilita fazer um bom governo: César Souza Filho, de Florianópolis, e Lauro Frölich, de Guaramirim, ambos do PSD.