Felipe Voigt confirma filiação ao PMDB

Colunistas

Por: Patricia Moraes

quarta-feira, 06:00 - 10/02/2016

Patricia Moraes
Aos 58 anos e tendo no currículo dois mandatos de vereador e dois de prefeito, Felipe Voigt confirmou à coluna ontem que se filia no PMDB no dia 19 de fevereiro. O convite oficial aconteceu no ano passado, quando o empresário da bananicultura foi chamado por Carlos Chiodini, Mauro Mariani, Pinho Moreira, Dario Berger e Valdir Cobalchini para uma reunião. Com aprovação que ultrapassou a casa dos 80% no seu último mandato, Voigt chega ao maior partido do Estado na condição de pré-candidato à Prefeitura. Segundo ele, a mudança para o PMDB é parte de uma estratégia que visa ter maior capacidade para buscar recursos ao município para obras que demandam grandes quantias, das quais a cidade não disponibiliza, como para o término da Avenida Rio de Janeiro e a construção de uma ponte perto da Menegotti, além da necessidade de investir em saneamento básico, conforme determinação do Ministério Público. Voigt ainda garante na entrevista a seguir que deixa o PP sem brigas e que quer o partido ao qual foi filiado desde o início da vida política ao seu lado nas eleições de outubro: OCP: Preparado para mais uma eleição? Felipe Voigt: Minha família deve estar pensando que fiquei louco. A vida está tão tranquila, estou cuidando dos meus negócios, mexendo com a terra. Eu pego junto, adubo terra e faço o que precisar. Mas a população me procura muito e creio que a gente veio para ajudar. Se for para construir, estarei à disposição. Quando o senhor se filiar ao PMDB, vai ser uma grande festa? Foi marcado para o dia 19. O pessoal quer fazer um evento. Para mim não precisava de tanto auê, mas é importante que as principais lideranças do Estado venham ao município e se comprometam, não comigo, mas com a população. Como aconteceu a negociação para o senhor mudar de partido? Fui chamado para uma reunião com Carlos Chiodini, Mauro Mariani, Pinho Moreira, Dario Berger e Valdir Cobalchini. Eles tinham pesquisas que indicam que meu nome é forte para eleição. Mas o nosso relacionamento não começou hoje. Sempre tive ajuda do PMDB quando estava na Prefeitura. Aceitei o convite porque penso que a cidade tem a ganhar com isso. E a sua saída do PP, foi amigável ou houve brigas? Nada de briga. Fui duas vezes vereador pelo PP e duas vezes prefeito. Me filiei desde jovem e decidi mudar apenas pensando nas necessidades que Schroeder possui. É preciso articulação política para conseguir recursos. Tanto não há briga que o encaminhamento é para o PP indicar o vice na chapa. E o fato do senhor não ter tido apoio do PP para concorrer a deputado estadual em 2014 pesou na decisão de deixar a sigla? Nada. Eu também apoiei o Carlos Chiodini. Ainda bem que fiz isso porque, se eu tivesse me lançado, nem eu e nem o Vicente Caropreso, que entrou por pouco, teríamos conseguido. Iria prejudicar a representatividade da região e meu objetivo sempre foi ajudar.

* * *

Farmácia Básica Segundo a Secretaria da Saúde, a nova sede da Farmácia Básica 2, que hoje funciona atrás da Câmara de Vereadores, prevista para ser transferida para prédio atrás do Terminal Urbano, deve ser inaugurada em 1º de março. O horário de funcionamento passará a ser das 7h às 19h.

* * *

No limite Segundo levantamento do jornal Folha de São Paulo, divulgado ontem, Santa Catarina é o sexto Estado do país que mais comprometeu recursos com despesa de pessoal em 2015. Os gastos com a folha de pagamento dos servidores estaduais alcançaram 48,35% das receitas, acima do limite prudencial de 46,55%. O limite máximo é de 49%.

* * *

Mudanças na Walter Marquardt Até o fim de fevereiro, a Prefeitura deve começar as alterações no trânsito da Rua Walter Marquardt, entre a esquina com a rua 25 de Julho e a Ponte do Curtume. A previsão é de que a rua fique com duas pistas com sentido ao centro e apenas uma em direção aos bairros.

LEIA A COLUNA COMPLETA NA VERSÃO DIGITAL DO JORNAL O CORREIO DO POVO

×