Ex-presidente da Câmara condenado

Colunistas

Por: Patricia Moraes

sábado, 04:00 - 10/09/2016

Patricia Moraes
Foto: Arquivo OCP
Foto: Arquivo OCP
O presidente da Câmara de Vereadores em 2012, Francisco Alves (foto acima), ex PT, hoje no PSD, foi condenado em primeira instância, juntamente com a diretora de Comunicação da Câmara na época e que atualmente ocupa o mesmo cargo, Carolina Tomaselli. A decisão da juíza Cândida Brugnoli considera os dois culpados ‘por uso negligente do dinheiro público’ na confecção da revista Balanço Legislativo, 2009-2012, que custou R$ 33 mil. O material serviu para divulgar as atividades desempenhadas pelos parlamentares. Francisco e Carolina terão que pagar, solidariamente, R$ 10 mil de dano e outros R$ 10 mil de multa, em valores corrigidos, além das custas processuais. O caso foi denunciado pelo Ministério Público que considerou que o material configurava ‘publicidade oficial afrontosa’ com recurso do contribuinte. Da decisão, cabe recurso. linha flecha
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Dieter comemora acerto na Educação Dieter Janssen (PP) deixa o governo no dia 31 de dezembro com bons resultados na Educação, uma herança para melhorar o futuro. Ontem, ele visitou as três escolas melhores colocadas no IDEB, Atayde Machado, na foto, Albano Kanzler e Cristina Marcatto. Com a ampliação do modelo de escola integral, de duas para seis unidades, com a formação continuada dos professores e a adoção de simulados internos, o município teve crescimento no ranking. O resultado mais expressivo foi nas séries inicias. A nota passou de 6,2 para 6,9. A meta estipulada pelo Ministério da Educação era de 6,3. Para chegar à média, os alunos passam por provas de matemática e português. Ao comentar com a equipe os resultados, Dieter ressaltou a qualidade dos professores que atuam na rede municipal como o grande diferencial. Na comparação, Jaraguá obteve o primeiro lugar entre as cidades catarinenses com número de habitantes entre 100 e 200 mil pessoas. linha flecha Sabatina OCP O jornal OCP deu início à serie de sabatina com os candidatos à Prefeitura de Jaraguá do Sul. Ontem, foram entrevistados Antídio Lunelli (PMDB) e Ivo Konell (PSB). Eles falaram sobre saúde, educação, funcionalismo público, orçamento, infraestrutura, entre outras coisas. O material será divulgado a partir de terça-feira, por ordem alfabética. Na segunda-feira, Jair Pedri (PSD) e Luiz Ortiz (PT) serão os sabatinados. linha flecha Sem artilharia Apesar de se apresentar como candidato de oposição, Ivo Konell (PSB), fez apenas críticas pontuais ao governo Dieter Janssen (PP). Prometeu, se eleito, manter as ações de sucesso e aperfeiçoar outras. linha flecha Modernização Antídio Lunelli (PMDB) disse que a modernização da máquina pública e a desburocratização são seus grandes objetivos. Ressaltou que não pretende fazer promessas até se inteirar realmente da situação da Prefeitura. linha flecha Reinke perde recurso Mario Fernando Reinke perdeu recurso no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e continuará afastado da Prefeitura por abuso do poder econômico, através da distribuição irregular e macadame, na eleição de 2012. linha flecha PMDB avalia troca Antes mesmo de sair a decisão sobre o pedido de impugnação da candidatura de Armindo Sesar Tassi, que foi afastado com Reinke da Prefeitura, o PMDB já avaliava a troca de concorrente. Pier Gustavo Berri é um dos possíveis nomes. A troca de Tassi, na verdade, segue uma lógica simples, afastado como vice pela justiça, que legitimidade teria para sentar agora na cadeira de prefeito? linha flecha Mulheres e o voto Dados do Tribunal Superior Eleitoral mostram que Santa Catarina tem 2.565.396 milhões de mulheres eleitoras, de um total de 4.985.048 milhões de eleitores aptos ao voto. No país, elas também representam a maioria do eleitorado. Mas só em 24 de fevereiro de 1932 passaram a ter direito ao voto por força do Decreto 21.076, baixado pelo então presidente da República, Getúlio Vargas, que instituiu o Código Eleitoral Provisório. Porém, o voto foi autorizado apenas para as mulheres casadas e, ainda assim, com autorização expressa do marido, e para as viúvas e solteiras com renda própria, na época, uma grande minoria. No Código Eleitoral promulgado em 1934, também por Getúlio, tais aberrações foram abolidas, mas a obrigatoriedade do voto foi mantida apenas para os homens. O voto feminino passou a ser obrigatório depois de 12 anos, em 1946. linha flecha Eleitas De acordo com a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres do Ministério da Justiça e Cidadania, em março deste ano havia 7.782 mulheres (13,5%) vereadoras, contra 49.825 homens (86,25%); 672 prefeitas (12%), e 4.892 prefeitos (88%). Em Santa Catarina, as últimas eleições municipais mostraram uma evolução da presença de mulheres. Conforme o Tribunal Regional Eleitoral, de 2008 para 2012 o número de prefeitas eleitas passou de 17 para 22, de um total de 295 municípios. O de vereadoras saltou de 271 para 385. Mas ainda há um longo caminho a trilhar para diminuir as desigualdades. linha flecha Bauer contra aumento Senador Paulo Bauer deixou claro para a imprensa nacional que o PSDB não vê o aumento de salários para o Supremo Tribunal Federal (STF) como prioridade para o país. A fala aconteceu na tarde de quinta-feira, quando o parlamentar catarinense fez, na prática, sua estreia como líder da bancada tucana no Senado. Bauer citou que o Brasil necessita, sim, que o Congresso aprove medidas que fortaleçam a economia. Segundo ele, é preciso votar ações que atraiam investimentos para diminuir a taxa de desemprego. linha flecha Boa iniciativa com vereadores O escritório de Cinema e o Cejas convidam os 128 candidatos a vereador para gravar,s em custo, um vídeo de 15 segundos. O material será postado nas redes sociais e faz parte da campanha “Um vereador pra chamar de meu”. Contatos pelo 3371-4386.    
×