Com a manutenção da greve, que entrou nesta  segunda-feira (3) na quinta semana, a administração municipal, já desgastada com a falta dos serviços públicos, avalia o que fará de agora adiante. O prefeito Antídio Lunelli (PMDB) insiste em dizer que não há mais o que negociar e promete endurecer ainda mais. Nesta terça-feira (4), uma reunião entre representantes da Procuradoria e da Controladoria vai avaliar quais medidas podem ser tomadas legalmente. Chegou a ser levantada a possibilidade de demissão dos grevistas, mas, na prática, a administração sabe que isso não é tão simples assim. Todo servidor público pode ser alvo de um processo administrativo, mas como admitiu o próprio procurador do município, Benedito Noronha, um procedimento desses – para avaliar a legalidade de demissão de um servidor – pode durar mais de dois anos, além dos recursos judiciais existentes. Há ainda outra questão que torna a decisão um tanto quanto inviável: a Prefeitura vai parar para avaliar o caso dos mais de 2.000 servidores em greve? O governo não vai mais administrar? Vai passar quatro anos em cima disso? Outro encaminhamento que a administração avalia é a contratação de professores temporários – com desconto dos dias parados dos grevistas – para impedir que os estudantes percam o ano letivo. Essa sim pode ser uma medida necessária se a paralisação se estender. O fato é que governo e servidores transformaram o impasse em uma queda de braço e esqueceram que ninguém ganha com uma greve dessa dimensão. Perdem todos. Terça-feira (4) será termômetro A expectativa da Prefeirua é de que haja esvaziamento do movimento grevista nesta terça-feira. Ainda na segunda, a Prefeitura enviou informação de que servidores de obras e saúde estariam retornando ao trabalho. O comando de greve também trabalha com essa possibilidade, embora informe que 70% dos servidores continuem parados,  tanto que já agendou nova assembleia para esta quarta. A conferir. O adiantamento do salário  Os servidores municipais entenderam como provocação o adiantamento do salário – que foi depositado no sábado dia (1) quando deveria ser transferido somente no quinto dia útil. O recado do governo era que os dias parados estavam sendo descontados. Mas não precisa entender muito de comportamento humano para saber que a decisão seria encarada pela categoria como um convite para continuidade da disputa. Já não se trata mais de fazer economia ou garantir direitos, a situação se transformou em uma guerra e se não houver bom senso vai durar quatro anos. Quem sofre é a população. Ninho com novos presidentes Como era previsto, Lio Tironi foi confirmado como presidente do diretório do PSDB em Jaraguá do Sul. A convenção ocorreu no domingo. O vice é Tiago Coelho. Já em Massaranduba, quem irá comandar o partido será o ex-prefeito Mario Fernando Reinke. Em Corupá, o ex-vice-prefeito Loriano Rogério Costa será o responsável por comandar o ninho tucano. E em Guaramirim Sandro Luiz Depin será o presidente, tendo Osni Romeu Denker como vice. Acordo em Massaranduba Depois de Corupá, a Prefeitura de Massaranduba fechou acordo de reajuste dos servidores públicos. A proposta do prefeito Armindo Sésar Tassi (PMDB), aceita pela categoria, é de reposição a inflação, 4,5%, mais um aumento de R$ 2 no vale-alimentação. Já os professores receberão reajuste de 7,64% conforme o Piso Nacional do Magistério (PNM).  Verba para o turismo  A Prefeitura de Guaramirim solicitou ao Ministério do Turismo R$ 4,5 milhões para pavimentação de parte da estrada Jacu-açu, onde há a rota do turismo rural. Nesta terça-feira (4), o principal acesso rodoviário ao bairro está  sendo feito pela rodovia SC-108. A localização privilegiada e a variedade de estabelecimentos e serviços presentes no local – que, juntos, somam mais de 40 empreendimentos – contribuem para o fluxo turístico intenso na região. Estima-se que 10.000 turistas visitem, mensalmente, a localidade.