Em tempos de corrupção desenfreada e desemprego, é um alento receber a notícia de que Jaraguá do Sul ficou com a posição de cidade mais pacífica do Brasil. Contam para o ranking índices de criminalidade, com foco nos homicídios, e de desenvolvimento humano. A satisfação só não é maior porque, infelizmente, vemos o país patinar no combate à violência. Segundo o estudo divulgado nesta segunda-feira (5) pelo Ipea, foram registrados em 2015 no Brasil 59.080 assassinatos (cinco deles em Jaraguá do Sul) – o que dá ao país a média de 28,9 homicídios para cada 100 mil habitantes. Os dados também revelam que os jovens, homens e negros, são as maiores vítimas. Os adolescentes que se envolvem com atos ilícitos, na maioria das vezes, refletem uma realidade de exclusão, desigualdade e omissão do Estado e da família. Em uma simples comparação, em três semanas, o Brasil teve mais gente perdendo a vida assassinada do que somando todos os ataques terroristas registrados no mundo nos cinco primeiros meses do ano. É muita coisa, é muita violência, é muita incompetência do Estado e muita omissão de quem deveria intervir. E essa intervenção de quem não está diretamente no poder público, mas que tem consciência do seu papel social é que faz Jaraguá do Sul ser uma exceção em um país que vai tão mal. Além do trabalho das polícias Militar e Civil, é claro, que precisam ter todos os seus esforços reconhecidos numa hora dessas. Empresas, entidades e pessoas físicas que doam recursos e tempo para apoiar projetos sociais, para tornar a vida de quem precisa melhor, para dar condições mais dignas a todos fazem a diferença. Quanto ao poder público, o recado é claro. É preciso investir em educação de qualidade, dar acesso à cultura, criar um ambiente favorável à geração de emprego, inovação e oportunidades. As crianças e jovens precisam enxergar um horizonte, motivos para acreditar que é possível. Sem perspectiva, não há futuro. Leia mais: - Jaraguá do Sul é considerada a cidade mais pacífica do país, segundo pesquisa     Sem inauguração Tendo como inspiração projeto de lei aprovado em Guaramirim no mês passado, a vereadora Andressa Fischer Schmitt (PP) é autora de iniciativa que proíbe a inauguração de obras públicas em Corupá sem o devido alvará de funcionamento. “O Executivo tem que dar o exemplo. Muitas vezes vemos obras inacabadas, sem capacidade de funcionamento, mas que são utilizadas para fins eleitoreiros”, critica a parlamentar. Na Saúde Agostinho Zimmermann continua na presidência do Conselho Municipal de Saúde de Jaraguá do Sul. Para o líder comunitário, uma das prioridades do município deve ser aumentar o número de médicos nos postos de saúde. Na Regional Lio Tironi foi confirmado no fim de semana como coordenador regional do PSDB. Entre as prioridades do tucano está liderar a sigla nas eleições de 2018. O PSDB no Vale do Itapocu deve ter Vicente Caropreso buscando a reeleição para Assembleia Legislativa e Marco Tebaldi à Câmara Federal. Sem reajuste Secretário de Administração, Argos Burgardt, ainda não vê margem para que o governo consiga dar um reajuste aos cerca de quatro mil servidores da Prefeitura de Jaraguá do Sul. Na semana passada, o Sinsep ingressou com ação na Justiça tentando garantir ao menos a reposição da inflação. Segundo Argos, nem mesmo os cortes feitos até agora conseguiram dar equilíbrio ao caixa. “Agora não tem condições. Não adianta dar reajuste e depois não conseguir pagar os salários. Temos que estar em situação e pagar todas as contas em dia e ter sobras para depois pensar em dar aumento”, defende. Hoje, cerca de 48% do Orçamento do município é para pagamento do funcionalismo. Prioridades Ter mais recursos para Obras, Cultura e Esportes tem sido uma luta constante da administração. Segundo o secretário Argos Burgart, são áreas que precisam mais recursos para não ter suas atividades suspensas. Em Obras, por exemplo, Burgardt admite que há situações em que as máquinas ficam na garagem por falta de combustível. Já Cultura e Esportes tiveram uma redução média de 80% do orçamento. “Estamos atentos e esperando que a situação do país melhore”, torce o secretário. Pavimentação esperada A Paviplan apresentou proposta de R$ 288 mil e foi a vencedora da licitação para obra de pavimentação da rua Otto Georg, no bairro Jaraguá 99. O recurso veio por meio de emenda parlamentar do deputado federal Esperidião Amin (PP). Donativos Os organizadores da palestra do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) em Jaraguá do Sul arrecadaram 345 quilos de alimento com o evento. Os donativos foram entregues à Paroquia São Judas Tadeu, no Água Verde, que fará a distribuição a quem precisa.   Consciência ambiental No Dia Mundial do Meio Ambiente, transcorrido nesta segunda (5), o secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Carlos Chiodini (PMDB), anunciou que o Estado investiu R$ 112 milhões em projetos e ações para proteção e defesa, recuperação, estudos e manutenção dos recursos naturais em Santa Catarina, no ano passado. “Demos início a importantes projetos na área ambiental com os Planos Estaduais de Recursos Hídricos e de Resíduos Sólidos, que devem estar finalizados até 2018. Apesar da crise econômica, somente na SDS e nos fundos administrados pela pasta, tivemos um acréscimo de 6,52% no orçamento para a gestão ambiental em 2017, prova de que estamos no caminho certo”, defende o secretário.