Caridade ou compra de votos?

Colunistas

Por: Patricia Moraes

terça-feira, 06:00 - 23/02/2016

Patricia Moraes
Em reportagem especial assinada pela jornalista Natália Trentini, publicada na edição de fim de semana do OCP, a juíza eleitoral Anne Finke Suszek e o chefe de cartório Eduardo Arbigaus falaram sobre assistencialismo e compra de votos e de como essas condutas podem trazer prejuízos à democracia. Mas se a prática é crime eleitoral durante a campanha, muitas vezes acontece travestida de caridade nos meses e anos anteriores ao pleito, principalmente quando se trata de eleição municipal. Essa forma de captação ilícita de votos está no dia a dia de muitas comunidades. Existem políticos, inclusive, que bancam uma estrutura específica para arrecadar e distribuir mantimentos e assim vão aumentando sua lista de contatos. É um remédio bancado pelo futuro candidato, um enxoval para o bebê, uma cadeira de rodas para o idoso da família e por aí vai. Quem não fica grato quando recebe auxílio em um momento de fragilidade? Pois é, mas a caridade, quando se confunde com política e interesses eleitoreiros, é sempre uma grande armadilha. Em uma época em que a sociedade clama por políticos mais éticos e comprometidos com os ideais coletivos, o voto pautado por interesse pessoal - em troca de algum benefício para si ou para família - é uma atitude que precisa perder espaço. A transformação da política passa por uma reflexão de cada um dos eleitores, quando isso não acontece, o que vemos são manchetes e mais manchetes sobre corrupção, nepotismo, investigações e todos esses ingredientes que estamos cansados no plano nacional.

* * * 

Parcerias inovadoras

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Em São Paulo, o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Carlos Chiodini, foi recebido na semana passada no Hospital Alemão Oswaldo Cruz, entidade de referência no país que tem na inovação um dos seus diferenciais. No encontro, o jaraguaense tratou da parceria entre a instituição e os 13 Centros de Inovação que estão sendo construídos em Santa Catarina. O convênio, que está sendo planejado, tem por objetivo aproximar o hospital e seu conhecimento de gestão e tecnologia do ecossistema inovador catarinense, na pesquisa e criação de produtos de saúde. Participaram da reunião o CEO do hospital, Paulo Bastian, o superintendente de Educação e Ciência, Jefferson Fernandes, o gerente de Qualidade, Rodrigo Demarch, e o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da SDS, Jean Vogel. Nos últimos dois anos o hospital filantrópico investiu R$ 20 milhões em pesquisas voltadas para área de Tecnologia da Inovação, como administração hospitalar e novos procedimentos cirúrgicos.

* * *

280 na pauta O deputado federal Mauro Mariani (PMDB) tem audiência amanhã com o ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, para tratar da duplicação da BR-280. Em função da crise econômica e da dificuldade do governo em tirar as obras do papel, Mariani vai pedir agilidade no processo de concessão da rodovia. O tema também será debatido no dia 7 de março, no Cejas, durante reunião do Fórum Parlamentar Catarinense.

* * *

Na Saúde O diretor de Vigilância Dalton Fernando Fischer foi confirmado na tarde de ontem como novo secretário de Saúde de Jaraguá do Sul. Ele é servidor de carreira desde 2002. Segundo o prefeito Dieter Janssen, a escolha de Fischer para assumir a pasta trata-se da valorização de mais um nome técnico dentro da administração.

LEIA A COLUNA COMPLETA NA VERSÃO DIGITAL DO JORNAL O CORREIO DO POVO

×