O número de mulheres eleitas para o Senado se manteve nas eleições deste ano sem alteração, sete foram eleitas senadoras. Elas representam 13% dos eleitos para o cargo.

Já na Câmara dos Deputados, houve um aumento de 51% no número de mulheres eleitas em relação a 2014. O número passou de 51 para 77 deputadas neste ano. Isso quer dizer que a nova Câmara vai ter 15% de mulheres na sua composição.

Considerando os deputados estaduais, as mulheres também são 15% dos eleitos. Foram 161 deputadas, um aumento de 35% em relação a 2014. Em Santa Catarina, das 40 cadeiras em disputa para Assembleia Legislativa, cinco foram conquistadas por mulheres, ou 13%. Na legislatura anterior, foram quatro.

Mesmo com a melhoria na representatividade feminina de forma geral no legislativo, a proporção de mulheres segue abaixo do encontrado na população brasileira. No país, a cada 10 pessoas, 5 são do sexo feminino.

Desde 1997, a lei eleitoral brasileira exige que os partidos e as coligações respeitem a cota mínima de 30% de mulheres na lista de candidatos para a Câmara dos Deputados, a Câmara Legislativa, as Assembleias Legislativas e as Câmaras municipais.

 

 

As mulheres eleitas 

Luciane Carminatti (PT) 61.271 votos
48 anos
Presidente da Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Alesc. Reeleita.

 

Paulinha (PDT) 51.739 votos
43 anos
Ex-prefeita de Bombinhas. Eleita para o primeiro mandato na Alesc.

 

Marlene Fengler (PSD) 41.684 votos
50 anos
Ex-chefe de gabinete de Gelson Merisio. Eleita para o primeiro mandato na Alesc.

Ana Caroline Campagnolo (PSL) 34.825 votos
27 anos
Professora de história. Eleita para o primeiro mandato na Alesc.

Ada Faraco de Luca  (MDB) 34.501 votos
65 anos
Ex-secretária de Estado da Justiça e Cidadania. Reeleita para a vaga na Alesc.