Presidente do PT em Jaraguá do Sul, o advogado Marcel Salomon acredita que a sigla poderá fazer até dois vereadores na próxima legislatura empurrado pela candidatura própria à Prefeitura. Para isso, Salomon contabiliza que seriam necessários cerca de 14 mil votos, quatro mil a mais do que os candidatos do partido receberam em 2012. Projeção otimista levando em conta que o PT que vive o maior desgaste da sua história no plano nacional. A aposta, segundo Salomon, é que a sociedade saiba separar as coisas e a crise fique restrita a Brasília. “Nunca estivemos envolvidos em nenhum escândalo em Jaraguá. Não dá para misturar e nem para generalizar. Temos um histórico de luta. A militância não está desanimada”, garante. O ex-vereador Justino da Luz e o servidor público Luiz Ortiz Primo já colocaram seus nomes à disposição para a corrida majoritária e, sem pretendentes, a tendência é de que o PT vá de chapa pura. Sobre a desfiliação do vereador João Fiamoncini, que foi para o PSD, Salomon prefere não entrar em polêmicas e diz que cada um faz as suas escolhas, “mas quem não segue as orientações do partido dificilmente saberá representar a sociedade da maneira que ela merece”. No próximo dia 15, a sigla inicia as reuniões mirando o pleito de outubro, por enquanto 25 pré-candidatos a uma vaga na Câmara foram listados. Sem nenhum grande puxador de votos, o PT aposta no eleitor fiel para fazer legenda. Nas contas da executiva, o partido poderá fazer vereador com 800 votos enquanto as siglas que contam com muitos nomes conhecidos precisem de 1.500 a 2.000 votos.

* * *

Foto: Eduardo Montecino/OCP Online
Foto: Eduardo Montecino/OCP Online
Selo ao comércio Alexandre Grade mostra selo que será lançado nesse sábado às 14h30 em frente ao Museu Emílio da Silva. A ideia é incentivar os comerciantes a tornar seus empreendimentos acessíveis a todos. O projeto foi criado pelo grupo Acessibilidade Jaraguá e conta com a simpatia do Ministério Público que vem incentivado políticas públicas para que Jaraguá do Sul, referência em tantos setores, seja também um exemplo de cidade onde todos possam circular. O grupo já confirmou a presença do prefeito Dieter Janssen no lançamento.

* * *

Julgamento Está marcado para o dia 25 de maio a instrução e julgamento do processo de improbidade administrativa que contesta o contrato de assessoria jurídica com o escritório Floriani Advogados Associados, mantido pela Câmara de Vereadores por mais de dez anos. No ano passado, o Ministério Público obteve liminar que proibiu a prorrogação do contrato. Desde 2003, o Legislativo fazia a licitação na modalidade carta convite que foi considerada uma “terceirização” ilícita, já que a Casa contava com uma diretoria jurídica no quadro de funcionários. A Câmara pagou entre 2003 e 2009 em torno de R$ 4,8 mil em multas para o Tribunal de Contas de Santa Catarina, que alertava sobre a irregularidade da contratação. A denúncia foi feita pelo Ministério Público e o processo investiga a atuação de quatro presidentes e do escritório de advocacia. O processo corre desde 2013 na Vara da Fazenda Pública.

* * *

Apoio à reciclagem O Senado aprovou ontem o projeto de Lei criado pelo senador jaraguaense Paulo Bauer (PSDB). A matéria prevê dedução no imposto de renda para valores doados à projetos de reciclagem. O texto agora será avaliado entre os deputados.

LEIA A COLUNA COMPLETA NA VERSÃO DIGITAL DO JORNAL O CORREIO DO POVO