A Associação Nacional dos Veteranos da Força Expedicionária Brasileira- Regional Jaraguá do Sul completa 40 anos de fundação no dia 25 de julho, também data de aniversário da cidade. Por isso, houve homenagem a personalidades e instituições que contribuíram para o êxito da associação, entre elas o expedicionário Walter Carlos Hertel, de 92 anos. Criada em 1976, ano do centenário da cidade, e inicialmente com uma diretoria formada exclusivamente por ex-combatentes, a associação desenvolve, ao longo de quatro décadas, diversas atividades ligadas ao patrimônio histórico pertencente à FEB. Considerada um marco à memória e à história, em particular aos veteranos nascidos ou radicados no Vale do Itapocu, é a única do gênero em atuação entre os municípios catarinenses. O secretário executivo da instituição, Ivo Kretzer, observou que gestos como esses valorizam e engrandecem o ato de coragem de todos os pracinhas. A Força Expedicionária Brasileira desembarcou na Itália no dia 16 de julho de 1944 e, naquele momento, descobriram que iam lutar na Itália. Entre eles estavam cinco catarinenses: Walter Carlos Hertel, Jorge Erching, Amaro Martins dos Santos, Ferdinando Piske e Harry Hadlich (nome de rua no Centro da cidade). Desse grupo, somente Walter Hertel, na foto recebendo placa comemorativa dos deputados Mário Marcondes (E) e João Amin, está vivo. linha azul Bingos Um projeto de lei do deputado Mauro Mariani (PMDB), apresentado em março deste ano, propõe que  jogos de bingos comunitários, com a finalidade de angariar recursos para entidades assistenciais filantrópicas, beneficentes ou religiosas, sem finalidade lucrativa sejam autorizados. Porém, apenas em casos de comprovado reconhecimento de utilidade pública municipal, estadual ou federal e cujos prêmios não superem o valor de um salário mínimo, sendo vedada a distribuição de prêmios em dinheiro. Em passado recente a PM chegou a intervir em um bingo na Via Lalau, de iniciativa particular, com sorteio de brindes e bastante frequentado por idosos. linha azul Remember Em todo ano eleitoral a palavra carro-chefe dos discursos de cadidatos é, sempre, “renovação”. Vejamos: há 16 anos, em outubro de 2000, Jaraguá do Sul elegia Irineu Pasold (PSDB) para prefeito. Na disputa também estavam Cecília Konell (PMDB), eleita oito anos depois, em 2008, com o próprio Pasold de vice, e Dionei Walter da Silva (PT). No mesmo ano, Luiz Carlos Tamanini (PMDB) conquistava seu segundo mandato em Corupá, derrotando nas urnas o engenheiro Carlos Dieter Werner (PSDB), que mais tarde seria o vice-prefeito do próprio Tamanini em dois mandatos. Na mesma eleição, em Guaramirim, Antonio Carlos Zimmermann (PMDB) vencia Mário Sérgio Peixer (PFL), que depois viria a ocupar o cargo por dois mandatos consecutivos. O terceiro candidato era Moacir José Mafra (PT). Em Massaranduba vitória de Dávio Leu (PFL), prefeito da cidade por quatro mandatos, sobre Odenir Deretti (PPB), que também seria eleito prefeito por um mandato. Finalmente, em Schroeder Hilmar Rubens Hertel (PFL) venceu a disputa contra Osvaldo Jurck (PMDB). Contrário ao instituto da reeleição, em 2016 Jurck conclui seu segundo mandato (agora pelo PSDB) como prefeito do município. linha azul Estruturado O PMDB pretende confirmar 250 candidatos a prefeito nas eleições de outubro. O coordenador das eleições do partido, deputado Valdir Cobalchini, afirma que já há pré-candidatos em 94% dos municípios, o que inclui Jaraguá do Sul. O PMDB catarinense tem, hoje, 105 prefeitos, 71 vice-prefeitos e 871 vereadores. E, mais, um senador, o vice-governador, cinco deputados federais e outros 10 deputados estaduais. linha azul É crime Em ano eleitoral o nó aperta ainda mais nas contas públicas. Dívidas assumidas nos últimos oito meses do mandato sem ter recursos para pagar as contas ainda em 2016, ou sem garantia do valor correspondente no caixa para quitá-las em 2017, pode gerar inegibilidade para prefeitos que vão disputar a reeleição em outubro. “Não pode gastar o que não tem, é precisa contar toda a dívida pendurada, lá de trás. Tem de somar tudo o que já deve. O descumprimento gera improbidade administrativa”. O alerta é do promotor público e professor de Direito Eleitoral Pedro Roberto Decomain, um dos poucos especialistas do país em legislação eleitoral. linha azul CURTAS Até julho do ano passado a sonegação de impostos no Brasil bateu na casa de R$ 1,162 trilhão. Isso representava à época mais de 8 mil vezes o prejuízo causado pelo “mensalão”, mais de 580 vezes o que já tinha sido revelado pela “Operação Lava-Jato” e mais de 60 vezes o que se descobriu da “Operação Zelotes”. Nesse contexto, Santa Catarina era o oitavo estado da Federação com o maior volume em sonegação: R$ 30,7 bilhões. ••• Senador Paulo Bauer (PSDB) é autor de projeto de lei que, segundo o parlamentar, pretende aperfeiçoar a decisão do Supremo Tribunal Federal que proibiu a doação de empresas às campanhas eleitorais. A proposta do senador tucano tem efeito retroativo e proíbe doações de quem tiver celebrado contratos de execução de obras e fornecimento de bens e serviços com qualquer órgão ou entidade da administração pública direta ou indireta nos quatros anos anteriores à eleição seguinte. ••• Projeto de lei assinado pelo senador Dario Berger (PMDB) altera um dos artigos do Estatuto da Pessoa com Deficiência, estabelecendo gratuidade no uso de vagas em estacionamentos abertos ao público por veículos que transportem pessoas com alguma deficiência. ••• Está pronto para votação o texto-base do projeto de lei que altera o enquadramento de pequenas e microempresas no Supersimples. Criado em 2006, o programa agora inclui as microcervejarias. O pedido para que o setor não fosse vetado da medida, como previa uma emenda ao projeto, foi feito pelo senador Dalírio Beber (PSDB). ••• Para se concluir de vez as obras do viaduto da Waldemar Grubba, retomadas na segunda-feira (18) ainda é preciso terminar a ligação entre a Avenida Geraldo Werninghaus (Ponte do Centenário) à BR-280, com mais uma passagem sobre os trilhos da ferrovia. Pelo projeto original aprovado pelo Dnit, a Rua Manoel Francisco da Costa, de acesso aos bairros Vieira e João Pessoa, em direção a Schroeder, também terá de ser alargada prevendo-se fluxo muito mais intenso de veículos em futuro próximo do que hoje. ••• Corrigindo: a data da audiência pública que vai discutir questões relacionadas com o transporte público de Jaraguá do Sul é 26 de julho e não 27 como foi publicado ontem. Aberta ao público em geral, começa às 18h30 no auditório do Centro Empresarial.