Um relativo percentual da longevidade está relacionado à carga genética. Outro tanto, pode ser alcançado de acordo com o meio e hábitos saudáveis de vida. Cada vez mais se comprova que quem busca associar essas variáveis, vive mais. Oportuno salientar, no entanto, que a concepção de longevidade, não pode se esgotar no número de anos vividos.

Significa dizer que, ‘qualidade de vida’ é uma variável intrínseca da longevidade. Só assim, faria sentido afirmar que, determinada pessoa conquistou uma vida longeva, pois, alcançou o centenário, porém, desfrutando de boa saúde. Se a variável ‘genética’ ainda não se encontra sob nosso total controle, podemos nos beneficiar de uma vida longeva, preservando a variável ‘meio’. Esta variável, que compreende a geografia, o clima, o ambiente e comida, está sob nosso controle.

Sobre essa variável ‘meio’, caberá, então, a nós próprios, as melhores decisões quanto a hábitos saudáveis de vida, tais como: atividades físicas regulares; dieta rica em plantas; alimentos de baixa carga glicêmica; ingestão de água com regularidade; consumo moderado de bebidas alcoólicas; controle do estresse; envolvimento familiar e social; aprendizado contínuo; cultivar razões para existência.

É importante termos consciência de que somos constituídos de matéria, espírito e energia. Manter esses elementos em harmonia e equilíbrio, é o grande segredo para uma vida plena, longeva e feliz.