Não há registro na história do Brasil, de já termos nos orgulhado de nossa saúde pública. O que temos, são ilhas isoladas de excelência. Portanto, quando nos reportamos à saúde, é necessário que entendamos sua dimensão conceitual. A OMS - Organização Mundial de Saúde, a define como “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de doenças”.

Nossa Constituição Federal de 1988, em seu artigo 196, estabelece que “a saúde é direito de todos e dever do Estado, garantida mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doenças e de outros agravos, e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação”.

Se em âmbito nacional estamos distante de atender aos preceitos constitucionais, localmente podemos nos orgulhar de sermos referência para o estado e para o Brasil. Se já estampamos a marca de sermos uma das cidades mais seguras do Brasil, agora somos protagonistas também na saúde com o Prêmio que consagra as iniciativas que melhoraram o atendimento à população que utiliza o SUS - Sistema Único de Saúde.

Sendo a saúde uma responsabilidade solidária da União, estados e municípios, este Prêmio comprova que nosso dever de casa está sendo feito.