Amigo leitor, resgatamos para você, com exclusividade, a histórica edição de nº 1.075 de 19 de abril de 1941. Nesta época o OCP era dirigido por Honorato Tomelin. Para situá-lo naquele contexto, o mundo encontrava-se em plena Segunda Guerra, e o Brasil, comandado por um regime ditatorial simpático ao modelo fascista (o Estado Novo getulista), criava a Companhia Siderúrgica Nacional, instituía o Código Penal Brasileiro e a Justiça do Trabalho. Embora a nação tenha aderido aos aliados na guerra, o exército brasileiro, treinado e equipado pelos Estados Unidos, só partiria para frente de batalha em julho de 1944. Em 1945 terminava a guerra. Boa viagem de volta ao tempo.

O aclamado aniversário

A Nação celebrava, naquele ano de 1941, o 59º aniversário do presidente Getúlio Vargas. O editorial de capa produzido por Valmor Wendhausen, enaltecia a figura de Getúlio, cuja sabedoria política era digna de estadista, equivalente a Franklin Delano Roosevelt. A história diria que o colunista deu uma viajada.

Nova sede do OCP

Prestes a comemorar 23 anos de fundação, e em pleno crescimento, o OCP interrompia por três semanas sua circulação, em virtude de sua mudança para um novo e imponente prédio, situado na antiga rua Deodoro, atual Marechal Deodoro da Fonseca.

Decisões que moldaram o futuro

Certamente muitas foram as decisões relevantes que conduziram esta empresa jaraguaense ao sucesso, porém, duas dessas foram pautas da Assembleia Geral Extraordinária, realizada em 21 de março de 1941, da Indústria Reunidas Jaraguá S.A, atual Duas Rodas Industrial Ltda. Inteire-se sobre aquelas duas importantes decisões.

Visita ilustre

O interventor federal do Estado de Santa Catarina, Nereu Ramos, inaugurava em 1941, o Grupo Escolar Almirante Tamandaré, na localidade do Bananal, atual Guaramirim.

O cinema em evidência

Seria exibido no Cine Buhr, o filme “O Tufão”, uma superprodução da Paramound. Chamava-se atenção para a cor e elenco. Um filme americano, gênero aventura, de 1937, dirigido por James P. Hogan e estrelado por Oskar Homolka, Frances Farmer e Ray Milland. Uma escuna com destino ao Peru é atingida por um tufão e acaba aportando em Kanaki, uma ilha do Pacífico Sul. Os marinheiros descobrem que ali vive Attwater, um explorador norte-americano que se dedica à cata ilegal de pérolas. Os nativos da ilha, sobreviventes de uma epidemia de varíola, acreditam que Attwater é um deus e o protegem e auxiliam quando os visitantes tentam roubar seu tesouro.