Defendo a tese de que a maior violência não é, propriamente, uma covarde agressão, pois essa configura um ato impensado, pontual e punível. A meu ver, a maior violência é a 'ignorância', pois essa mata continuamente. Um ser ignorante mata todo dia, a família, os amigos, a sociedade, o mundo. A única coisa que a ignorância não mata é a consciência do próprio ignorante, pois esse está, inclusive, assegurado pelo direito de ser ignorante.

Indivíduos que recorrem a argumentos rasos como: 'eu tenho residência fixa', 'eu possuo diploma', 'eu sou pai de família', 'eu trabalho e pago impostos', como forma de justificar ou amenizar a pena de um ato ilícito, demonstram o acentuado grau de ignorância que os caracterizam. O infeliz protagonista da última ocorrência, sequer sabe que todos somos iguais perante a lei. Provou que desconhece esse princípio fundamental ao bradar ser pai de família. Provou seu grau de ignorância.

Minha solidariedade, respeito e admiração aos PMs que, diante de tal circunstância, se valeram da autoridade com ética, profissionalismo e elegância na referida ação. Que a justiça, agora, cumpra seu papel.