A duplicação da BR 280 é um projeto, ou melhor, uma promessa, bem antiga. Um gargalo que há muito espera ser dilatado como forma de mitigar o estrangulamento viário, aumentar a fluidez na região e as interações espaciais e, notadamente, impulsionar as atividades produtivas e turísticas.

Pode-se dizer que a efetivação de tão importante obra para nossa região trilhou, historicamente, um caminho longo, tortuoso, com intermináveis aclives e declives. Embora sejam incalculáveis os custos da morosidade, além de vidas ceifadas, finalmente as obras de duplicação do trecho estadual, entre Guaramirim e Jaraguá do Sul, serão retomadas.

É notória a importância estratégica de tal obra, pois trata-se de uma artéria fundamental na malha viária do estado, por escoar significativo volume de produção industrial e agrícola, e de grande potencial exportador. Espera-se agora, que as máquinas operem em ritmo acelerado para, ao menos, compensar parcela do tempo perdido.

A propósito, há plena certeza de que o retorno que nossa região proporcionará ao estado e União, jamais terá a morosidade do respectivo investimento público. A obra concluída representará, sem sombra de dúvidas, um novo marco de dinamismo, desenvolvimento econômico e qualidade de vida para a região.