A WEG completou 60 anos nesta quinta-feira (16). Para dignificar esse ciclo, o OCP produziu um merecido caderno especial. Enquanto eu ajudava a editá-lo, um filme se passava em minha mente. Por 25 anos tive o privilégio de participar dessa história, entre office boy a cargo de liderança. Tempo mais que suficiente para vivenciar e entender a essência do sucesso dessa admirada empresa. Descobri que no mundo da ‘liderança visionária,’ a sensibilidade natural de olhar o passado, entender o presente e projetar o futuro, caracteriza e diferencia as empresas vencedoras.

Óbvio que isso, por si só, não assegura, necessariamente, o sucesso. Essa gratificante experiência me revelou que o êxito da liderança visionária está intimamente relacionado com a sábia atitude e capacidade de seus líderes em compartilhar uma visão. Asseguro que não há força mais poderosa, capaz de direcionar uma organização ao padrão de excelência duradoura, do que uma visão fascinante, instigante e crível do futuro, amplamente compartilhada.

Eggon João da Silva forjou a visão de que “quando faltam máquinas, você as pode comprar; se não tiver dinheiro, pode pedir emprestado; mas homens você não pode comprar ou pedir emprestado, e homens motivados por uma ideia são a base do êxito.” Tive a grata oportunidade de perceber que o efeito desta visão compartilhada da WEG, afigura-se a um motor que extrai energia e emoção das pessoas, convertendo em habilidade, talento, realização e orgulho em pertencer. Werner, Eggon e Geraldo, com exímia maestria, projetaram esse “motor” de alto rendimento.

Ao compartilharem esta visão, sabiam eles que o maior desafio do futuro não estaria, em essência, nos recursos financeiros, máquinas, tecnologias e crises, mas, no poder da motivação por conhecimento e evolução, sustentado numa perspectiva mais ética e humana, com vistas a uma sociedade melhor. É assim que identifico o grande legado desses três visionários. É o que justifica o contínuo crescimento e evolução dessa organização mesmo em épocas tão adversas, e servindo de modelo às futuras gerações. Orgulho, admiração e gratidão sintetizam minha relação com a WEG.