"Coronavírus: podemos inverter a perspectiva negativa e avançar"
"Coronavírus: podemos inverter a perspectiva negativa e avançar"

A pandemia que vivenciamos nos transmite a sensação de que o mundo, literalmente, parou. Nos condiciona a enxergarmos, figurativamente, a floresta e não as árvores que formam a floresta. Nos leva a acreditar que, por hora, só há segurança se o mundo estiver parado, com a população enclausurada. Não colocamos em dúvida o potencial de contaminação do coronavírus e suas consequências, tampouco, a importância crucial dos cuidados de higiene e isolamento.

Não pretendemos, em hipótese alguma, contrariar as orientações técnicas e fundamentadas das autoridades sanitárias e epidemiológicas. Entretanto, nos parece desmedida a mensagem midiática em procurar substanciar o caráter negativo da situação. Então, nos parece oportuna uma reflexão fundamentada em artigo do The New York Times, publicado no dia 22/03/20, intitulado “A Plan to Get America Back to Work”.

Em essência, o autor do artigo, Thomas L. Friedman, nos leva a deduzir que, se já conhecemos o inimigo; se já sabemos como nos proteger, e até lavar as mãos; se obedecermos uma quarentena de duas semanas, então a perspectiva a ser alimentada deverá ser positiva, ou seja, mesmo com prudência, deveremos fazer a roda voltar a girar. Tão, ou mais, devastador que o vírus, é uma economia do tamanho do Brasil parada. Mais trágico do que a letalidade do Covid-19, embora baixa, são os milhões de desempregados que poderemos vir a ter.

Entendemos que passadas duas semanas de quarentena, poderíamos inverter nosso olhar e atitude, retomando as atividades de trabalho e ensino de jovens e adultos. Tal retomada se daria com responsabilidade e cuidados necessários, isolando-se, obviamente, os grupos de risco: Idosos e pessoas com doenças crônicas (insuficiência renal, doença respiratória), doenças cardiovasculares, diabéticos, hipertensos, fumantes; pessoas com imunidade mais baixa ou saúde já debilitada; profissionais da área da saúde; crianças, além dos supostos infectados. Precisamos nos salvar, mas com o mundo girando.