Nos encontramos no início de uma guerra, sem que saibamos onde se encontra o inimigo. Sabemos que seremos atacados, sem saber, precisamente, a intensidade e duração do ataque. Estamos aprendendo a nos defender mesmo sabendo que nosso arsenal estrutural é frágil. Então, a melhor estratégia, é praticar, figurativamente, a guerra de guerrilha, escondendo-nos.

Portanto, nessa guerra não se combate em pelotões, mas individualmente, cada um em sua própria trincheira. Esta é uma guerra em que, paradoxalmente, a força coletiva derivará do isolamento individual. Só perderemos se lutarmos contra nós mesmos.

Atitudes que nos derrotarão: pânico; desinformação; descumprimento de orientações oficiais; compartilhamento de fake news; aproveitamento da situação em benefício próprio. Pela primeira vez na história do Brasil, uma pandemia nos mostrará se somos, essencialmente, uma Nação. Como em toda guerra, teremos grandes perdas, mas, certamente, sairemos dela mais sábios e fortes enquanto unidade social e Nação.