No mundo: Para melhor situá-lo na história, recordamos alguns acontecimentos deste ano que determinariam nosso destino: Precisamente no dia 18 de janeiro os alemães bombardearam Londres. Nesse mesmo dia os britânicos também atacaram Berlim.

Em 2 de fevereiro as últimas tropas alemãs em Stalingrado renderam-se ao Exército Vermelho, chegando ao fim uma das batalhas mais importantes da Segunda Guerra Mundial. Em 10 de fevereiro, o líder ativista indiano, Mahatma Gandhi, iniciava uma greve de fome em protesto a sua prisão por parte das autoridades coloniais britânicas.

Em 2 de dezembro bombardeiros pesados aliados lançavam mais de 1.500 toneladas de bombas sobre Berlim, causando enorme devastação.

No Brasil: A segunda guerra acarretou significativas perdas à Marinha Mercante Brasileira. Entre 1941 e 1944, o Brasil perdeu 35 embarcações entre cargueiros, pesqueiros e de passageiros, bombardeados pelas forças alemãs no Atlântico, com mais de mil mortos. Só em 1943, foram afundados oito navios mercantes.

No entanto, somente em julho de 1944, já na fase final da guerra, é que o Brasil viria a se juntar aos aliados na Itália. Então, de forma rimada se diria: se por letargia, apatia, reação tardia, ou ao fascismo simpatia, a realidade é que a pressão americana fora o que determinaria. Não fosse isso, o Brasil nem iria.

Em Jaraguá: Um importante contrato selara na época um avanço no padrão de qualidade da saúde para o povo jaraguaense. Confira esta e outras notícias da edição nº 1.167, de 27 de março de 1943, do O Correio do Povo.

Um marco para a saúde

O Hospital São José, na pessoa do renomado Dr. Álvaro Batalha, assinava na ocasião, um contrato com a empresa General Eletric Raios X S.A., para aquisição de modernos aparelhos de terapia e raio X. Fora uma inestimável conquista para a saúde na época.

Troca de gentilezas

O então polêmico Papa Pio 12, cujo relatos históricos omitiu-se ao holocausto, completava seu 4º ano de pontificado, que chegaria ao seu fim em 9 de outubro de 1958. Veja teor dos telegramas trocados entre o presidente Vargas e o Pontífice.

Duelo entre o estrategista e o vilão

O Correio do Povo publicava nesta edição efeitos dos discursos dos dois principais personagens da guerra. O histórico duelo que retratou a tenaz resistência de Churchill a qualquer tipo de acordo ou tratado com Hitler, terminou por forçar o Führer nazista a cometer o grande equívoco de sua carreira, invadir a URSS e ser definitivamente derrotado.