"2020 me lembrará aquela São Silvestre: uma crônica carboidratada"
"2020 me lembrará aquela São Silvestre: uma crônica carboidratada"

O ano de 2020 já aponta na reta final. Vem babando os pulmões, arrastando a língua na pista. Todo o carboidrato previamente acumulado, já se queimou no percurso. Tudo indica que romperá a fita de chegada, mas necessitará de doses de glicose na veia, ou desfibrilador para evitar o óbito. O tempo percorrido pareceu uma eternidade. Distante de qualquer marca razoável. Os obstáculos, ao longo do percurso, foram traumáticos. Só restará auscultar se o ‘pulso ainda pulsa’.

Esta é minha sensação para com 2020, pois me remete a uma São Silvestre que participei. A mais famosa e tradicional corrida do Brasil e a da América do Sul, com seu desgastante percurso de 15 km, pelo centro de São Paulo, não se apagará de minha história. Ao mentalizar a retrospectiva deste ano que se finda, recobro com prazer, aquele convite de um brother maratonista, que já deu a volta ao mundo correndo e pedalando. Seu minucioso planejamento a mim sugerido, me pareceu mais desafiador do que a própria corrida.

Tudo pensado e planilhado nos mínimos detalhes: árduo treinamento no decorrer do ano; dieta especial; equipamento adequado; engenharia anatômica dos movimentos do tronco, pernas e braços; domínio das variáveis VAM - Velocidade Aeróbica Máxima e ‘pace’ (ritmo médio de minutos por km); viagem (com o veículo + econômico, Fiat 147); alojamento (doação WEG); deslocamento para o local da corrida (buzão lata ‘véia’ 73); reconhecimento do percurso (uma hora à pé); teste da pisada; exame cardiovascular; alongamento; aquecimento; lacre de chip eletrônico no tênis; aglomero de 25 mil amadores na Paulista; oração; adrenalina; xixi; largada.

Subitamente, ao primeiro passo, a consciência me cobrou: “você não cumpriu nenhum item do militar planejamento sugerido pelo mentor, e agora?” Determinei, então, uma “meta”. Estabeleci duas opções: chegar na frente dos dois brothers ultra preparados, ou morrer. Venci, vivo, com folgada margem, mas reconheci que se tivesse seguido o planejamento, estaria, ainda hoje, esperando-os. É com esse sentimento que concluirei 2020. Superação. Gratidão aos brothers parceiros pela vencedora experiência