Peço a leitora que não vire a página, não vou falar de futebol, vou, isso sim, valer-me de um exemplo do futebol para poder falar sobre todos nós. Obrigado. O assunto é o Dunga, ex-treinador da Seleção Brasileira. Acabei de ler a manifestação de um jornalista sobre Dunga, o sujeito disse exatamente assim: - “Dunga é um cara asqueroso e preconceituoso”. Não, Dunga não é nada disso. Mas cabe-me dizer que se Dunga fosse jornalista não iria faltar idiotas para chamá-lo de “polêmico”, como costumam chamar todos os que se atrevem a dizer verdades que os estúpidos não gostam de ouvir... Dunga foi jogador do Internacional, sério, aguerrido, brigão dentro do campo, um vencedor. Fez a mesma coisa na Seleção Brasileira, levantou a taça de campeão do mundo como capitão da Seleção... Mas não é desses abobados que andam por aí sacudindo o traseiro para jornalistas levianos, de mente estreita e chegados a grupinhos suspeitos. Dunga não entra em corriolas, logo, é antipático, asqueroso e preconceituoso, como disse o “colega” em São Paulo. Vim até aqui, leitora/leitor, para dizer que se você for no seu trabalho sério, dedicado, brigão pelo melhor como o Dunga faz no futebol, anote: você terá uma legião de gente a antipatizá-la/o no seu ambiente de trabalho. E a começar, não raro, pela direção da empresa... Os sérios, os comprometidos, os éticos, os “Caxias”, são rejeitados pela maioria indolente, o comportamento sério agride aos levianos e o sujeito que seguir essa trilha não vai chegar ao sucesso senão depois de muitas curvas. O caminho reto, o mais curto para o sucesso neste país sujo, é ser “sujo”, regra absolutamente geral, em todas as instâncias e instituições. Em todas, eu disse, em todas. Então, companheiro, fique alerta e saiba bem do que lhe acontece por perto, com os simpáticos de suas relações, amigos, colegas e até chefes... Saiba que qualidade e seriedade moral agridem muito, saiba disso e prepare-se. Prepare-se para ser chamado de asqueroso e de preconceituoso. E eu acrescento: ser chamado de polêmico se for jornalista. Não esqueça que você é brasileiro e mora no Brasil. Não dá “bola”, Dunga, tu já estás rico e tens o título de campeão do mundo no peito. Isso dói aos invejosos. Novelas Ontem me perguntaram, mais uma vez, se novela educa ou deseduca. Minha resposta é única: a novela é o retrato da sociedade. - “Credo, Prates, mas as novelas hoje são umas indecências”! Iguais as famílias. Os autores não inventam, retratam. Há exceções? Deve haver, mas são exceções. O diacho é dizer isso e saber que “todas” as famílias vão correr para a porta de fuga das exceções... O que está nas novelas está dentro das famílias. Falta dizer A propósito, quando é que vão devolver a autoridade aos professores em sala de aula? Hoje se um professor chamar de vagabundo a um dos tantos vagabundos de sala de aula o levam para a delegacia. Não no “meu” colégio. Nele professor tem a autoridade de “delegado”, pode mandar ver...