Eu bem que podia começar esta nossa conversa perguntando como vão as vendas. E, quase certo, você me diria que não é vendedora, vendedor. Claro que é, todos nós somos vendedores ao longo de toda a vida, é a nossa mais cansativa missão. E sabes o que vendemos? Vendemos a nós mesmos.

Vivemos tentando fazer com que os outros nos “comprem”. Oferecemos a eles as nossas ideias, a nossa imagem, os nossos saberes, a nossa qualificação profissional, vendemos, ou tentamos vender a eles ou a elas a nossa imagem de possível bom parceiro, boa companheira, enfim, vivemos nos “vendendo”, num sentido figurado, é claro, mas vendendo.

Toda esta arenga porque a cabei de ler uma frase e com ela fiquei pensando. A frase dizia assim: - “Sempre tento ir um passo além de onde quer que se espere que eu termine”. Magnífica. Dito de outro modo, se esperam que eu dê 1000 passos, vou dar 1001... E assim com tudo.

E, em sendo assim, serei, seremos vendedores na vida, ou então estaremos apenas fazendo o que nos é rigorosamente esperado. Coisa de preguiçosos. E dizendo isso, lembro de uma história de vendas, história que tirei de um dos muitos livros de vendas que li dos americanos.

A história contava de John Scott, um vendedor de móveis de escritório de uma filial de uma grande empresa nacional dos Estados Unidos, com sede em Nova Iorque. A cidade de Scott era uma cidade de porte médio, no interior, e mesmo assim ele foi o campeão nacional de vendas da empresa.

No fim do ano, a empresa fez uma grande festa de premiação dos melhores funcionários do ano e, claro, Scott ia receber a taça maior, afinal, fora o campeão nacional de vendas, vendendo 1 milhão de dólares em móveis. Mas Scott não pôde ir à festa.

No dia seguinte, para motivar e cutucar Scott, o gerente nacional de vendas da empresa mandou a ele uma mensagem: - “Scott, cumprimentos por teres vendido 1 milhão de dólares neste ano, mas que tal venderes 2 milhões no ano que vem”? E Scott respondeu de imediato: - “Cumprirei suas ordens, mas por favor mande-me dizer o que farei no segundo semestre...”. Scott era galo. Não é o gerente que me diz para vender 1 milhão, estou pensando em vender 2... Assim pensam os vencedores na vida.

Chatas

Não existe pessoa mais chata que aquela a quem você pergunta: - E aí, tudo bem? E a pessoa para e conta. É como se você perguntasse as horas e a pessoa contasse a história do relógio. Insuportável. Pensei nisso ao lembrar que viver falando mal da saúde é o mesmo que colocar fertilizante em ervas daninhas, a saúde fica pior ainda... E como existem dessas pessoas chatas, pessoas que só vivem se queixando da saúde para os outros. Bico calado, chatas.

Dieta

Existem centenas de dietas para a boca e para o estômago, certo? Pois é, mas ninguém fala que a dieta que nos faria mudar de visual e gênio seria uma dieta de pensamentos ruins, negativos, de maldades, fracassos e neuroses. Uma dieta dessas nos tornaria parceiros disputadíssimos no mercado das almas... Mas os toscos sempre dizem: eu não tenho o que mudar!

Falta dizer

Vi de novo ontem na tevê um documentário sobre a cidade de Granada, em Portugal. Nessa cidade há um antigo palácio e no terraço desse palácio, um sino. As mulheres que tocarem o sino vão arrumar alguém para casar e fugir da solidão, bem assim disse o narrador do documentário. Fugir da solidão? Vão se arrepender...