O título pode ser instigante, afinal, quem não quer vencer na vida? Mas a primeira questão que essa pergunta nos traz é esta: O que é vencer na vida? Será que alguém poderá dizer que vencer na vida é ter muito dinheiro? Ou será que alguém me vai dizer que é casar bem? Ou quem sabe ter uma bela e invejada mansão? Ou, vá lá, ser famoso... O que é vencer na vida? Nem vou encurtar a conversa dizendo que vencer na vida, para meu juízo, é simplesmente viver em paz, em paz consigo mesmo. E neste caso, leitora, esse vencer na vida é o mais difícil de todos. Ganhar dinheiro muitos tolos ganham, a maioria dos ricos que o digam. Todavia, fechada a porta de seus quartos, o bicho das inquietações os puxa pelos pés, não dormem... Vencer na vida é como viajar, não importa o lugar, importa o sentir-se bem. Podemos “viajar” para um vilarejo e sermos muitos felizes ou para Paris e bocejar. E quem não sabe que nas grandes metrópoles é onde mais os infelizes se amontoam? Vencer na vida, ser feliz, pode ser em qualquer lugar. Mas quero abrir uma fresta nesta nossa conversa e repetir aqui o que digo aos jovens estudantes quando lhes faço palestra nas escolas: - “Não escolham suas profissões por pressões e “interesses” dos pais Não vai dar certo”! Os pais querem nosso bem, mas um nosso bem a partir do que eles veem como um bem. A escolha profissional, a única que nos pode levar à vitória na vida, tem que ser um casamento, um casamento por amor e para sempre. Vencer na vida é sentir-se feliz neste momento e com o que temos, pouco ou muito, mas nunca será pela quantidade, será sempre por amor e bem-estar. Só isso é vencer na vida. Conheci uma senhora em Porto Alegre, dona Francisca que venceu na vida... Venceu ajudando bichinhos abandonados e em severas necessidades. Foi a vida dela. Estamos, hoje, mais do que nunca, numa sociedade falsa e de aparências. É preciso mentir, fingir, ser falso, ou safada mesmo para ter sucesso e “vencer nas vidas digitais”... Que nojo, é por isso que os “ansiolíticos” estão em falta nas farmácias. Saber sossegar o facho com inteligência é vencer na vida.

PODERES

Quando o poder não está dentro de nós, mas nos títulos exteriores ou na conta bancária, não temos poder nenhum. O verdadeiro poder não depende de exteriores, mas os minguados existenciais, ricos, estufam o peito em em suas cidades e se acham. Esses idiotas pensam que quem tem pouco lhes são servos, dependentes. Conheço bem alguns desses tipos... Não resistem a uma prova de redação, seus “poderes” estão no banco. Coitados. A propósito, será que Deus tem conta bancária...?

TRASTES

Quem foram os trastes que mexeram no currículo do Ensino Médio brasileiro? Os jovens, maioria desinteressada dos estudos, pais omissos e irresponsáveis, gentinha, enfim, não ergueram a voz contra as mudanças no currículo. Matemática e Português, por exemplo, tiveram a carga horária diminuída... Sem falar em História, Geografia, coisas indispensáveis. Íamos mal, iremos pior e ninguém bate na mesa. Os “trastes” decidem? Chances de o Brasil crescer? Zero. Que nojo!

FALTA DIZER

Mexendo nos meus arquivos, reencontrei um anúncio antigo da revista Claudia. Dizia assim – “Mulher que lê Cláudia é um perigo”. Pois eu digo daqui, hoje – “Mulher que lê jornal é um perigo maior...”. Um belo e salutar perigo, os “minhocas” e as invejosas dão no pé perto delas...