Todos os livros “religiosos” que existem na Terra foram articulados por pessoas que ou reuniram eternas verdades da condição humana ou as criaram para assustar pessoas com dificuldades para pensar. E com esse expediente mantiveram – e mantêm – multidões sob o cabresto do medo. Claro, para não serem contestados inventaram autorias “divinas” para suas obras... Vamos ao assunto. A coisa aí fora está ficando cada vez pior, a primeira das razões é a descompostura moral, a vida sem os freios da decência. As crianças estão crescendo “livres”, sem qualquer admoestação que lhes imponha algum limite, tudo na base da pedagogia do amor, a pedagogia dos indecentes, imorais, safados e bandidos. Todos os dias o noticiário conta histórias de falta de respeito, desordens, desaforos e crimes, crimes bárbaros entre pais e filhos. E se falei de “religiões” é porque acho muito descarada a pessoa que se diz religiosa mas não aplica certos princípios pregados por suas religiões. Dou logo um exemplo, um exemplo que se for seguido vamos ter uma sociedade muito melhor, crianças, adolescentes e mais tardes adultos bem formados. Aqui está o exemplo da Bíblia: - “Vara e correção dão sabedoria: menino abandonado à sua vontade se torna a vergonha da mãe”. Será preciso falar mais claro, ou alguém tem dúvida sobre as palavras “vara” e “correção”? Dia destes, uma dona de restaurante, e até então convidada habitual de um famoso programa das manhãs na TV, teve a coragem de dizer que crianças em restaurantes são insuportáveis. Por que, por que são crianças? Não, porque, pela regra, são mal-educadas. Faltou a elas a correção que evitaria a “vara”, mas não houve nem uma coisa nem outra. Deu no que anda por aí. – Ah, e essa mulher do restaurante foi riscada da produção dessa TV... Quem agora não quiser puxar o freio dos “filhinhos”, quem não os quiser dar limites e severidades, vai ter que tolerar mais tarde as “varas” que a sociedade lhes vai dar. E os “anjinhos protegidos” de hoje não vão ter para aonde correr. Não é mesmo, senhor Delegado? Bandidagem Andas desanimada/o? Alguma doença em especial que justifique o desânimo? Não? Graças a Deus! Agora me diga, você acha que desanimado ou desanimando vais resolver algum problema na vida? Realizar algum sonho? Ficar gemendo, queixando-se da sorte, achando-se sem graça, sem nada, vai apenas agravar o quadro. Depois não se queixe. Quando erguemos a cabeça e lembramos de Marcos 9:23 aí está o remédio para todos os males: - Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê”. Crer em ti mesmo. O fracasso é sempre pessoal, ninguém mais tem nada a ver com ele... Falta dizer No trabalho temos o salário, que pode ser ótimo, mas... É preciso que também tenhamos nesse mesmo trabalho o “salário emocional”. O lamentável é que a maioria escolheu o “salário mínimo emocional” no seu trabalho. Não lhes tenho pena, pífios da desqualificação...